home > notícias

MUNDO

09/05/2016

Viagem para pôr a gastronomia entre as melhores do mundo

A Associação de Turismo e Culinária investe 500 mil euros na Rota do Peixe para dar a conhecer como se faz e come os peixes de mar e de rio.

Os melhores chefs de renome mundial têm sido unânimes em reconhecer os peixes e mariscos nacionais. Mas a gastronomia ainda está longe de ser citada entre as melhores e, para mudar isso e destacar o turismo gastronómico, a Associação Portuguesa de Turismo de Culinária e Economia (APTECE) vai investir, até setembro de 2017, 500 mil euros na Rota do Peixe.
 
“O projeto consiste num conjunto de roteiros que permitem aos turistas percorrer a costa e os rios portugueses e saber que peixe é melhor em cada local, como é preparado, onde pode ser consumido, o que há a visitar ou que eventos decorrem, desde o Museu da Ria de Aveiro a algumas lotas”, explica José Borralho, presidente da APTECE.
 
A Rota do Peixe vai ser apresentada este mês, mas já se conhecem os percursos desde o rio Minho, no Norte, a Almograve, no Alentejo. “Para já, como o projeto é financiado por fundos europeus, a Rota do Peixe inclui apenas percursos no Norte, Centro e Alentejo, mas esperamos que possa vir a incluir todas as regiões, até porque nem tudo está financiado e vamos contar com as entidades de turismo e autarquias para a sinalética”, adianta José Borralho.
 
Cada região terá um site em português, inglês e espanhol e a APTECE está também a estudar uma possível app que guie os turistas famintos. O projeto é muito mais do que um guia de viagens com recomendação de restaurantes. Inclui formação para os responsáveis dos restaurantes sobre “como explicar o peixe nas ementas, destacá-lo devidamente e valorizar o peixe de cada época, também com uma preocupação de sustentabilidade dos nossos recursos naturais”. Paralelamente, a associação identificou “especialistas que podem participar em eventos para ; promover a rota lá fora e explicar o que é o peixe português”, acompanhados de uma campanha online que arrancará em fevereiro nos mercados externos.
 
Para a APTECE, a nova Rota do Peixe é, ainda, uma “oportunidade para os operadores turísticos criarem programas à volta do peixe, que podem ir desde a pesca à preparação”, sendo estes uma “mais-valia para deslocalizar o turista de Lisboa ou do Porto”. A APTECE vai realizar, este verão, o primeiro estudo de referências gastronómicas dos turistas que nos visitam.
 
Entre 1000 e 1500 turistas estrangeiros serão convidados, em cerca de 200 hotéis, a responder a um questionário de perceção sobre a gastronomia portuguesa à chegada e à partida. “Já sabemos que a gastronomia está entre os pontos positivos mais referidos, mas raramente têm essa noção à chegada. Temos de mudar isso e afirmar a nossa gastronomia a par das mais conhecidas em todo o mundo”, remata José Borralho.

Fonte: Portugal Global



NOTÍCIAS RELACIONADAS
07/11/2017
Reynaldo Gianecchini percorre Portugal com peça de teatro
07/11/2017
Universidade do Porto condecorada pela Marinha do Brasil
07/11/2017
Bonecos de Estremoz podem ser Património da Humanidade em dezembro
06/11/2017
São Martinho, a mais antiga feira de cavalos de Portugal
06/11/2017
Portugal vai promover-se como destino para andar de bicicleta ou a pé
06/11/2017
70 mil km para descobrir a Mina Lusitana