home > notícias

ASSOCIADOS

18/05/2016

Sonae compra 50% da Salsa

Empresa factura 106 milhões de euros e dá emprego a mil pessoas.

A Sonae, através da Sonae Retalho Especializado assinou hoje o acordo para a compra de 50% da Salsa, marca internacional de jeanswear de origem portuguesa, anunciou a empresa de Paulo Azevedo em comunicado enviado ao mercado. O valor da operação não é conhecido.

A aquisição de uma participação no capital da Salsa enquadra-se na estratégia da Sonae de reforçar a sua presença global e diversificação de estilos de investimento.

Luís Reis, CCCO da Sonae, em declarações ao Económico sublinha que “esta é para a Sonae uma aquisição muito importante na medida em que a Salsa, uma empresa de base portuguesa, realiza 56% das suas vendas fora de Portugal”.

A Salsa que foi criada em 1994 está presente em cerca de dois mil postos de venda em 32 países, e fechou o exercício de 2015 com uma facturação de 106 milhões de euros, dando emprego a mil trabalhadores.

Filipe Vila Nova que era até agora CEO da empresa, irá manter-se no cargo, uma vez que a joint venture prevê a manutenção da gestão.

Luís Reis reforça que o grande objectivo é “acelerar o crescimento da Salsa nos mercados onde a empresa já está presente, onde aliás é já bastante relevante”.

Miguel Mota Freitas, presidente da Sonae SR, adianta em comunicado que “A Salsa é hoje uma das melhores marcas portuguesas de moda, pelo que estamos muito satisfeitos com a celebração desta parceria que reforça a nossa estratégia de criação de um portfólio distintivo de marcas de retalho e a presença internacional das nossas actividades”.

Já o presidente executivo da Salsa, Filipe Vila Nova afirma que “a Salsa, pela sua reconhecida cultura de inovação, está em total sintonia com a Sonae, que tem na inovação um dos seus principais valores. Esta joint-venture permite prosseguir com o caminho do desenvolvimento da marca, abrindo novas perspectivas e oportunidades de crescimento”.

Ainda segundo o comunicado a concretização da operação está dependente da autorização por parte da Autoridade da Concorrência e de um conjunto de acordo com terceiros.

Fonte: Economico



NOTÍCIAS RELACIONADAS
26/05/2017
Embraer apoia pequenas e médias empresas com a criação de Clube de Fornecedores
26/05/2017
Sonae vence prémio europeu de serviços partilhados de recursos humanos
26/05/2017
CRITICAL Software Galardoada como “Parceiro do Ano em Crescimento” pela IBM
26/05/2017
Haitong Bank realiza aumento de capital de 60 milhões de euros
25/05/2017
TAP é a primeira companhia aérea europeia a aceitar cartões ELO
25/05/2017
FCB – Sociedade de Advogados: Procedimentos de Arbitragem | Angola