home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

21/06/2016

Empresários portugueses continuam a procurar financiamento especializado

O factoring de exportação, financiamento especializado, numa assinalável progressão de 7%, foi a “estrela da companhia” em 2015. Os créditos tomados foram responsáveis pela gestão de cobranças de uma crescente percentagem de trocas com o exterior.

O financiamento especializado continuou a registar resultados positivos em 2015, de acordo com as estimativas reveladas recentemente pela Associação Portuguesa de Leasing, Factoring e Renting (ALF).
 
Os números analisados apresentam um crescimento da produção no Leasing, no Renting e no Factoring, observando-se valores em linha com a tendência de recuperação gradual da economia nacional e dos níveis de investimento empresarial.
 
Diante deste cenário, Paulo Pinheiro, presidente da ALF, sublinhou o quanto, na associação,  ficaram “agradados por constatar que, em 2015, o financiamento especializado continuou a aumentar a sua importância no apoio à economia portuguesa, reforçando o seu papel de catalisador dos investimentos e na gestão da tesouraria das empresas portuguesas e demais agentes económicos”.
 
Paulo Pinheiro adiantou ainda  que “as empresas portuguesas têm vindo a usufruir cada vez mais das vantagens destes produtos, convergindo para um grau de utilização verificado nos países europeus mais desenvolvidos economicamente”.
 
Factoring de exportação destaca-se em 2015
 
No ano passado, as instituições de factoring – mecanismo de apoio à tesouraria que permite às empresas um melhor financiamento do seu ciclo de exploração, uma vez que possibilita obter uma antecipação dos recebimentos dos seus clientes – tomaram cerca de 22,9 mil milhões de euros em faturas, verificando-se um aumento estimado de 3,8% (847 milhões de euros) em relação ao registado em 2014.
 
Para este impulso, esclarece a análise da ALF, contribuiu o factoring de exportação, que registou um crescimento robusto na ordem dos 7% em 2015 comparativamente ao ano homólogo, com os créditos tomados neste segmento a serem responsáveis pela gestão de cobranças de uma crescente percentagem de trocas comerciais com o exterior, atingindo os 2,72 mil milhões de euros (cerca de 5,5% do total das exportações nacionais em 2015 foram feitas com o apoio e segurança do factoring).
 
Importa ainda denotar que o factoring de exportação se verifica quando a instituição de factoring toma os créditos que os fornecedores portugueses (o aderente é o exportador) detêm sobre adquirentes estrangeiros (os devedores).
 
A ALF dá ainda nota de que no que concerne ao confirming, gestão de pagamentos aos fornecedores das empresas, representou 7,8 mil milhões de euros em Portugal, enquanto o factoring doméstico foi responsável por 12,3 mil milhões de euros.

Fonte: Portugal Global



NOTÍCIAS RELACIONADAS
24/04/2018
Vitalidade do sistema político tem sido preocupação do Presidente da República
24/04/2018
PSI20 sobe 0,30% em linha com ganhos das bolsas europeias
24/04/2018
Governo quer “com urgência” aumentar a oferta no arrendamento e desafia proprietários
20/04/2018
Presidente da República quer finanças públicas saudáveis “ao serviço das pessoas”
20/04/2018
Portugal foi exemplar nas reformas que permitem crescimento atual
20/04/2018
Human Rights Watch elogia Portugal por vencer a crise sem rejeitar a democracia