home > notícias

MUNDO

22/08/2016

Cultura à Solta Nas Ruas de São Paulo!

A cultura é um bem essencial na vida de São Paulo, cidade tão dinâmica quanto populosa (20 milhões de habitantes na área metropolitana).

A estonteante oferta cultural inclui vários teatros, espaços de concertos, centros culturais e museus e a cidade mostra a sua energia com eventos de massas como a Virada Cultural, um extenso programa de espetáculos gratuitos.

 

Entrar na Virada

A programação abre no início do verão nos municípios vizinhos, chegando a São Paulo no mês de junho. Há espetáculos e eventos um pouco por toda a parte, nas ruas e parques, e os auditórios e espaços de cultura abrem as portas ao público de toda a cidade. Ao longo de um fim de semana, os paulistas podem assistir gratuitamente a concertos, teatro e dança, levar a família ao circo ou dançar numa rua animada por um baile de samba ou roda de choro.

Com uma programação non-stop, 24 horas por dia, a Virada é um ótimo cartão de visita — tanto o público local como os turistas e visitantes absorvem, ao longo deste grande evento, o melhor da oferta cultural da cidade.

No que a experiências culturais diz respeito, São Paulo é uma cidade estimulante e surpreendente. Alguns bairros têm uma atividade fervilhante. Durante um simples passeio pelas ruas do centro pode deparar com uma obra de arte anónima pintada numa parede, ouvir os sons de um talentoso músico ou descobrir um teatro alternativo albergado num edifício discreto.

 

Exposições e teatros paulistas

O percurso cultural pode ter início de forma convencional, mas eficaz: na zona central não faltam museus e espaços culturais. Na Avenida Paulista encontramos o Itaú Cultural (centro de divulgação, exposições e eventos) e o MASP — Museu de Arte de São Paulo, com um acervo de obras de artistas brasileiros e internacionais desde a antiguidade à época contemporânea. Existem ainda espaços em que a função de museu e galeria se junta à de biblioteca e centro de divulgação: o Centro Cultural São Paulo e a Pinacoteca.

Outros espaços têm abordagens e temáticas diferentes. Passando pelo Parque da Luz, podemos entrar na antiga estação de comboios Júlio Prestes e visitar o Museu da Língua Portuguesa, uma grande instalação interativa e multimédia que explora a história e atualidade do Português. Antigos edifícios como o Hospital Matarazzo são ocupados por exposições e galerias. São Paulo também recebe eventos de grande dimensão como a Bienal de São Paulo, a Feira Internacional de Arte e a Mostra Internacional de Cinema (o maior festival de cinema do Brasil).  

Os aficionados do teatro e dança podem ainda assistir a performances em espaços como o Teatro Alfa, o Teatro Municipal, o Teatro Fábrica, mas o roteiro não está completo sem o SESC (Serviço Social do Comércio) — uma rede de vários centros culturais espalhados por São Paulo, com uma grande importância na vida local e extensa programação de exposições, eventos culturais e educativos.

 

Sampa é um espetáculo

A maior cidade do Brasil não podia deixar de ser um bom lugar para quem gosta de música. A cena musical local cresceu e desenvolveu-se à conta de vários auditórios, palcos ao ar livre, salas de concertos e bares com música ao vivo. O SESC assume uma particular importância nesta dinâmica, com uma programação nos seus vários polos que inclui artistas de topo nacionais e internacionais. 

Na estação Júlio Prestes encontramos também a Sala São Paulo (base da Orquestra Sinfónica do Estado de São Paulo) e os fãs de ópera e música clássica podem também satisfazer os ouvidos no Theatro São Pedro. Mais a sul, no grande Parque de Ibirapuera, ouvem-se outros sons — o Auditório de Ibirapuera, desenhado pelo grande arquiteto Oscar Niemeyer, recebe eventos como o Brasiljazzfest, o maior festival internacional de jazz do país. 

Quanto à chamada música popular, também tem aqui uma casa — ou várias. A congregação de fãs de pop/rock e indie dirige-se em massa ao festival Lollapalooza Brasil (Autódromo de Interlagos) e os membros da tribo heavy metal reúnem-se em torno de eventos como o Monsters of Rock (Arena Anhembi). Noutras partes da cidade, o rock, o hip-hop e a música alternativa e experimental estão vivos em várias salas e bares da Vila Madalena e Rua Augusta.

Por fim, é óbvio que em São Paulo podemos ouvir — e dançar — muita MPB, chorinho e samba nos “botecos” e recantos de bairros como Campinas, Vila Madalena e Pinheiros.
 

A arte vive na rua

Como já se percebeu, aqui é importante sair das galerias, bares e auditórios e passar para a rua, onde facilmente se entra na dinâmica cultural que dá energia a eventos como a Virada. Aos domingos, a Avenida Paulista fecha parcialmente ao trânsito automóvel e os passeios acolhem feiras de arte e antiguidades. Também nestes dias, o “Minhocão” (nome que os locais dão ao Viaduto Presidente Costa e Silva) transforma-se em passeio pedestre e palco para intervenções artísticas (o local está decorado com murais de vários artistas locais, e não é incomum assistir às peças de teatro representadas no próprio viaduto).

Fonte: Destinos FlyTap



NOTÍCIAS RELACIONADAS
27/06/2017
Ilhas entre os destinos preferidos dos portugueses
27/06/2017
Brasília acolhe ciclo de música sinfônica portuguesa
27/06/2017
Volta a Portugal 2017 começa em Lisboa e termina em Viseu
26/06/2017
João Moutinho completa 100 jogos
26/06/2017
Pinacoteca de São Paulo abre exposição com mais de 100 obras de museu português
23/06/2017
Aprender todas as disciplinas com um projeto e um 'tablet' [Portugal]