home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

23/08/2016

Agricultura familiar se fortalece no Mato Grosso do Sul

No último ano safra (2015/2016), a agricultura familiar movimentou, em crédito rural no Mato Grosso do Sul, o montante de R$ 224.191.834,66 em contratos nas modalidades Custeio e Investimento do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

De acordo com dados do Banco Central, os cinco municípios que mais contrataram o crédito foram Dourados (R$ 25 milhões); Fátima do Sul (R$ 9 milhões); Itaporã (R$ 8 milhões); Deodápolis (R$ 7,885 milhões); e Ivinhema (R$ 7,750 milhões).

O Pronaf faz parte de recursos viabilizados pelo Plano Safra da Agricultura Familiar do Governo Federal. Para a safra 2016/2017, foram disponibilizados R$ 30 bilhões para os produtores familiares de todos os estados brasileiros. 

O Mato Grosso do Sul possui atualmente quase 80 mil famílias de pequenos agricultores, mais que o dobro em 1990, quando eram 38 mil. Dados do último Censo Agropecuário mostram que os principais alimentos produzidos pelos agricultores familiares são mandioca (77%); café (68%); e feijão (56%). 

Agricultura familiar nas escolas

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) amplia o mercado para a produção de agricultores familiares da região. Números da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário (Sead) mostram que o PNAE garantiu, em 2014, mais R$ 11 milhões em compras.

Em Sidrolândia, município a 73 km de Campo Grande, são 300 hectares de mandioca plantados por produtores familiares. A raiz é beneficiada em agroindústria do Projeto de Assentamento Gibóia e vendida para a merenda de escolas do município e do estado. “Eles vão entregar quase seis toneladas até o fim do ano”, conta a extensionista da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer) Elisângela Carniel.

A agricultora Iva Ortiz, de 52 anos, aposta no beneficiamento para agregar valor à produção. “Lucramos quase três vezes mais do que se não fosse beneficiada antes de vender”, afirma. A mesma agroindústria vai abrigar em breve uma produção de doces. 

Alimentação orgânica para o PAA

De acordo com dados da Secretaria de Agricultura Familiar (SAF/Sead), até setembro de 2015, os agricultores familiares sul mato-grossenses venderam quase R$ 5 milhões em produtos para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). A Cooperativa dos Produtores Orgânicos da Agricultura Familiar de Campo Grande (Organocoop) vende parte da produção de frutas e hortaliças via PAA. “Entregamos mais de 300 caixas de mercadoria por produtor mensalmente. Somos 53 famílias na cooperativa. É muito importante para o agricultor familiar ter esse mercado garantido”, afirma o presidente da cooperativa, Vanderlei Azambuja Fernandes.

Fonte: MDA



NOTÍCIAS RELACIONADAS
24/03/2017
Os melhores restaurantes secretos de Lisboa
24/03/2017
Busca por qualidade e bons preços leva turismo médico a crescer 25% ao ano
22/03/2017
PORTUGAL É «UMA BOA PORTA DE ENTRADA PARA A EUROPA E UMA PONTE PARA EXPORTAR E INVESTIR NOUTROS MERCADOS»
22/03/2017
Porto supera Lisboa como distrito com maior procura imobiliária
21/03/2017
O Brasil nunca esteve tão apaixonado por Portugal
21/03/2017
Um paralelo entre os impostos sobre os serviços de Brasil e Portugal