home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

26/08/2016

Governo quer empresas preparadas para instalação de contadores inteligentes

O secretário de Estado da Energia desafiou hoje as empresas portuguesas a estarem preparadas para a "oportunidade" de entrarem no processo de substituição, por parte da EDP, dos habituais contadores da luz por contadores inteligentes.

"Há aqui uma grande oportunidade. O país tem este objetivo de instalar os contadores inteligentes. Nós iniciamos, nas últimas semanas, um processo de calendarização de instalação dos contadores inteligentes mas também nos interessa que isto seja uma oportunidade para as empresas portuguesas, para a economia nacional para que, não só seja possível que haja a incorporação nacional nesta questão mas também que corresponda a um ganho de experiência das empresas, para que elas se possam internacionalizar", afirmou Jorge Seguro Sanches.
 
De acordo com diretivas de Bruxelas, até 2020, 80% dos equipamentos já devem ser de nova geração, o que permite aos consumidores controlarem os seus consumos de eletricidade em tempo real.
 
O governante, que falava em Viana do Castelo, no final da visita a uma empresa que vai encaixar 20 milhões de euros com o contrato que vai iniciar no final do ano, em França, para substituição de 35 milhões de contadores tradicionais por 500 mil contadores inteligentes, disse que o processo de substituição está dependente dos reflexos que possa ter nas tarifas cobradas aos clientes, avaliação que disse estar a ser feita pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).
 
"De acordo com a lei a calendarização obedece a uma proposta que vem do regulador. O Governo já iniciou esse processo. Estamos à espera que da parte do regulador nos chegue essa informação, mas eu penso que há aqui boas condições para que seja um processo ajustado quer para não haver impacto nas tarifas dos consumidores quer para que haja capacidade de resposta das empresas portuguesas", sustentou.
 
Jorge Seguro Sanches adiantou que "o sistema elétrico nacional tem que fazer investimentos de forma muito criteriosa" e sublinhou que, neste caso, poderá representar "um grande incentivo, nomeadamente, quando os ganhos são maiores para o sistema e para os consumidores do que aqueles que são, efetivamente, os custos".
 
"Há um ganho muito grande ao nível da instalação de contadores inteligentes no nosso país e em qualquer outro lado do mundo que têm a ver com ganhos de assistência energética, com os ganhos daquilo que deixa de ser o encargo das empresas de fazer as contagens, mas também ao nível daquilo que os consumidores ganham com o que é efetivamente cobrado ou estimado poder vir a corresponder a efetivos consumos", explicou.
 
O governante apontou a empresa Painhas S.A, em Viana do Castelo, como "um bom exemplo" porque "com base nos conhecimentos e no trabalho que tem feito desde 1980 no sistema elétrico nacional ganhou dimensão e internacionalizou-se".
"É um excelente exemplo daquilo que acontece noutros países da Europa, nomeadamente em França, em África e na América Latina. A nossa expectativa é que os contadores inteligentes sejam uma boa oportunidade para empresas portuguesas", destacou.
 
Em maio passado, em comunicado enviado à agência Lusa, a empresa adiantou que a empreitada que ganhou em França "terá a duração mínima de quatro anos, envolvendo mais de 100 trabalhadores que irão operar em várias regiões de França".
Segundo a Painhas, empresa que opera em infraestruturas na área da energia, "alguns desses recursos humanos serão recrutados no mercado nacional, pelo que já se encontra em curso um processo de receção de candidaturas".
 
De acordo com a empresa, fundada em 1980, com sede na zona industrial do Neiva, em Viana do Castelo, e com mais de 2.000 colaboradores diretos e indiretos, o contrato alcançado "vem consolidar a aposta no mercado francês" e representa "mais uma etapa no seu processo de internacionalização".
 
"A Painhas S.A é a única empresa portuguesa a sair vencedora neste concurso europeu, onde participaram mais de 1.000 empresas europeias", sustentou, referindo-se ao concurso lançado pela ERDF, empresa responsável por 95% da distribuição elétrica em território francês.
 
Em Portugal, a empresa foi responsável pela instalação das EB (Energy Box) do projeto InovGrid da EDP Distribuição e, em França, irá implementar o projeto Linky, da ERDF.
 
"O projeto Linky é o maior na área das Smart Grids em curso atualmente na Europa e prevê a substituição de 35 milhões de contadores em França até 2022. Serão instalados mais de 500.000 contadores inteligentes em várias regiões de França, o que se irá traduzir num volume de 20 milhões de euros", explicou a empresa.

Fonte: Portugal Global



NOTÍCIAS RELACIONADAS
20/10/2017
Simulador IRS 2018
20/10/2017
Correios de Portugal e do Brasil firmam parceria para potenciar ecommerce entre dois países
20/10/2017
EU Market Access Brazil., edição 52
20/10/2017
Em busca de visto, brasileiros movimentam Consulado de Portugal
18/10/2017
Arbitragem administrativa no Brasil e em Portugal
17/10/2017
Portugal sobe no ranking mundial para investir em imobiliário