home > notícias

ASSOCIADOS

31/08/2016

PWC abre 1.000 vagas de cientistas de dados e dá exemplo de como e porquê fazer isso

PWC abre 1.000 vagas de cientistas de dados e dá exemplo de como e porquê fazer isso

A multinacional de consultoria e outsourcing PWC deu início aos planos de contratar milhares de cientistas de dados nos próximos anos para ajudar seus clientes na travessia do modelo tradicional de TI para a transformação digital. Nessa semana, a empresa divulgou a abertura de 1.000 vagas para esses profissionais somente no Reino Unido (Inglaterra, Escócia, País de Gales, Irlanda do Norte e outras ilhas menores). O anúncio é um exemplo de como o mercado está mudando e a necessidade dos especialistas em dados vem ganhando urgência.

As vagas foram anunciadas no blog inglês da empresa. Os contratados trabalharão em um leque bem vasto de serviços e produtos da consultoria que inclui segurança cibernética, privacidade, análise preditiva, novos sistemas de negócios baseados na infraestrutura existente, análise de riscos e regras de controle.

Hemione Hudson, executiva de Assurance local da PWC, explica que as coisas mudaram nos negócios e não é possível mais ignorar a importância de cientistas de dados. “Os modelos de negócio que têm servido bem aos clientes durante décadas estão sendo interrompido ou destruído devido à velocidade de ruptura digital. O aumento da fiscalização regulatória, os novos riscos da tecnologia e as crescentes ameaças cibernéticas exigem uma resposta rápida com essa equipe de especialistas em dados”.

Especialidades diversas
Os candidatos ás vagas devem conhecer tecnologia de algum modo. A descrição da PWC é um exemplo de como as empresas podem procurar cientistas de dados. O novo profissional não precisa ser alguém 100% da TI, mas precisa conhecer algo básico de ciência da computação, estatísticas, matemática e alguma linguagem de programação. Novidades como conhecimento em Hadoop ou Hive (plataformas para big data e analytics), de Tableau (de data visualization) e experiência em ofertas “as a service” são desejadas.

Quanto à personalidade, algo interessante aparece na procura da PWC. O cientista de dados tem de ter “mentalidade hacker” e ser um “solucionador de problema”. Aliás, a lista de características pessoais e virtudes humanas das vagas é curiosa. Provavelmente será a parte mais complicada de ser preenchida pelos candidatos. Entre outras coisas, o cientista de dados precisa saber “envolver-se com a alta administração”, “saber contar histórias” e “traduzir projetos em ações”.

Acesse os outros sites da VideoPress

Portal Vida Moderna – www.vidamoderna.com.br

Radar Nacional – www.radarnacional.com.br

Fonte: R7



NOTÍCIAS RELACIONADAS
17/10/2017
Lisbon Green Valley recebe prêmio de sustentabilidade [Belas Clube de Campo]
17/10/2017
TAP registou o mês de Setembro como o melhor mês de sempre [TAP]
16/10/2017
TAP atinge 1 milhão de passageiros na ponte aérea [TAP]
16/10/2017
Análise PwC Portugal à proposta de Orçamento do Estado para 2018: principais alterações [PWC]
11/10/2017
Salários até perto de 670 euros beneficiam da isenção do IRS [PWC]
11/10/2017
Consultora Ernst & Young diz que o Porto está entre as cinco cidades favoritas para acolher Agência do Medicamento [EY do Brasil]