home > notícias

MUNDO

22/09/2016

Festival de Teatro da Língua Portuguesa celebra Nelson Rodrigues com espetáculos inéditos

O Festlip chega à 8ª edição, que decorrerá até 2 de outubro no Rio de Janeiro. O evento contará com espetáculos inéditos de companhias de teatro de Portugal, Angola e Cabo Verde a partir de textos do dramaturgo brasileiro Nelson Rodrigues.

Brasília - Genial, maldito, imoral, pornográfico. Estes foram alguns dos adjetivos que acompanharam o dramaturgo, jornalista e escritor Nelson Rodrigues (1912-1980) ao longo de sua carreira. Desde seu primeiro texto teatral, e ao longo de quase 40 anos em que escreveu 17 peças, nove romances, além de centenas de contos e crônicas, Nelson redefiniu o teatro brasileiro.

Para celebrar sua obra, o FESTLIP - Festival Internacional de Teatro da Língua Portuguesa dedica, pela primeira vez, ao homenageado todo o conteúdo desta oitava edição – entre peças, workshops, palestras, exposição de fotos, show, evento gastronômico e ainda uma inédita mostra de cinema, sempre com entrada franca.

Até 2 de outubro, o Oi Futuro Flamengo, o SESI Centro e o SESI Jacarepaguá recebem novos espetáculos feitos a partir de textos de Nelson Rodrigues pelas companhias Elinga Teatro (Angola), Teatro da Garagem (Portugal) e Raiz Di Polon (Cabo Verde), além de uma leitura dramatizada dos atores brasileiros Julia Fajardo e Rodrigo Abreu, com direção de Antonio Gilberto, na reabertura ao público da Casa de Cultura Laura Alvim.

Com realização da Talu Produções, o festival é apresentado e tem o patrocínio do Governo do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, Oi, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e conta, mais uma vez, com o patrocínio do Camões – Instituto da Cooperação da Língua no Brasil, que garantiu a presença dos artistas portugueses no evento.

O FESTLIP surgiu quando em uma viagem a Moçambique, África, Tânia Pires, idealizadora do festival, teve a oportunidade de dar aulas de teatro e conhecer de perto a manifestação artística de seu povo. A experiência de ver a diversidade das artes cênicas, através da língua portuguesa, motivou uma pesquisa sobre o teatro em todos os países que falam o português, nascendo então o festival.

"O FESTLIP 2016 nos permitirá uma aproximação mais íntima da nossa cultura com o mundo, já que a dramaturgia de Nelson retrata, sem pudor, temas tão polêmicos em uma sociedade. É com essa espontaneidade e liberdade que a arte nos permite tocar em questões delicadas e comuns a todos. Permitir esse contato é uma forma de desvendarmos como países de culturas tão diversificadas encaram uma obra tão brasileira e ao mesmo tempo universal quanto a dele", resume a atriz e produtora Tânia Pires, que contabiliza desde a sua primeira edição um público de quase 280 mil pessoas.

Sobre a participação portuguesa no Festlip:

Espetáculo "A Vida Como Ela é"
Grupo: Teatro da Garagem (Portugal)
A 22 e 23/09/2016 – (quinta-feira e sexta-feira), às 19h30, no Teatro Sesi Centro e a 24, 25 e 28/09/2016 – (sábado, domingo e quarta-feira) às 20h no espaço Oi Futuro Flamengo

O Teatro da Garagem, fundado em 1989 e sediado no Teatro Taborda, dedica o seu trabalho artístico à pesquisa e experimentação, através da investigação de novas formas de escrita para teatro e de novas formas cênicas que o acompanham. Carlos J. Pessoa é autor/encenador residente e auxilia o trabalho pedagógico, através do Serviço Educativo, nas escolas ao redor da companhia.
"A vida como ela é" é um espetáculo baseado no universo das crônicas que Nelson Rodrigues escreveu por cerca de dez anos, diariamente, para o jornal Última Hora. Através do retrato do cotidiano das relações entre casais brasileiros dos anos 50, o escritor traça um quadro sobre as relações humanas no seu íntimo. Numa grande proximidade com o público, a peça percorre casamento, amor, desejo e adultério para mostrar retratos da vida comum nos quais ainda conseguimos nos reconhecer.

Oficina teatral "A Falar que a Gente se Entende"
Continuidade do projeto "A Falar que a gente se entende", realizado na edição 2015, culminará numa coprodução internacional do Teatro da

Garagem com a Talu Produções.
A 27 de setembro, das 14h às 18h, no espaço Oi Futuro Flamengo, com entrada franca e palestra com José Mena Abrantes (Angola), Maria João (Portugal) e Mano Preto (Cabo Verde).

Fonte: Portugal Digital



NOTÍCIAS RELACIONADAS
24/03/2017
Praias de Portugal distinguidas
24/03/2017
Publituris Portugal Trade Awards
24/03/2017
Cooperativa de Lisboa salva do lixo 500 toneladas de fruta e hortaliças em 3 anos
24/03/2017
Fórum Econômico Mundial nomeia português como jovem líder global
24/03/2017
Brasil Junino leva artistas e grupos brasileiros para a Europa
24/03/2017
Portugal pode ser nova a sede da Agência Europeia do Medicamento