home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

04/10/2016

Brasil cultiva soja selvagem pela primeira vez

A soja selvagem ainda é pouco conhecida, mas traz embutidas características que poderão influenciar o futuro dos programas de melhoramento genético

21 espécies de soja selvagem estão sendo avaliadas a fim de identificar as diferentes características além do comportamento, sendo a maioria de originária da Austrália. O estudo é inédito no Brasil, que pela cultiva esse tipo de semente pela primeira vez com intuito de ampliar a variabilidade genética da soja.

De acordo com a revista Dinheiro Rural, as espécies foram armazenadas no Banco Ativo de Germoplasma (BAG), uma coleção de sementes mantida pela Embrapa Soja em Londrina (PR), considerado o terceiro maior banco da leguminosa no mundo, com cerca de 35 mil acessos.

O trabalho de regeneração e catalogação dessas espécies começou a ser feito nas casas de vegetação da Embrapa Soja no início de 2016 e está praticamente concluído.

A soja selvagem ainda é pouco conhecida, mas traz embutidas características que poderão influenciar o futuro dos programas de melhoramento genético.

De acordo com especialiastas, apesar de a soja selvagem ser pouco estudada, sabemos que seu genoma é diferente do genoma da soja cultivada e que tem fontes de resistência a várias doenças e pragas.

Para manter essas sementes, a Embrapa Soja dispõe de uma estrutura que foi remodelada, em 2011, e está totalmente automatizada. As sementes são mantidas em câmara fria a 5ºC, com 25% de umidade, o que garante sua sobrevivência por longos períodos.

Fonte: Notícias ao minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
18/08/2017
Empresas portuguesas são as que pagam mais tarde
18/08/2017
Web Summit quer encontrar os projetos de sustentabilidade mais inovadores [Portugal]
17/08/2017
Marcelo promulga alargamento dos "vistos gold" mas alerta para "risco"
17/08/2017
Lisboa regista maior crescimento de rendas de comércio de rua na Europa
17/08/2017
“O Brasil é o principal destino da pera rocha portuguesa”
17/08/2017
Portugal com 37 fusões e aquisições em julho. Somam-se 12 mil milhões de euros este ano