home > notícias

MUNDO

17/10/2016

20 locais em Portugal que tem de visitar antes de morrer

Compilámos a mais original e imperdível lista de locais em Portugal de que provavelmente nunca ouviu falar e/ou nunca visitou no seu país.

Portugal é (re)descoberto de tempos a tempos pelas mais prestigiadas publicações do Mundo em artigos sobre os mais imperdíveis locais turísticos, mas quem cá está é que sabe, melhor do que ninguém, quais os locais que todos os portugueses deviam visitar pelo menos uma vez na vida ou de que nunca ouviram falar e já devia estar na agenda há muito.

O Dinheiro Vivo pediu a colaboração das entidades regionais de turismo do Continente e dos responsáveis regionais de turismo das ilhas e selecionou, entre as muitas sugestões recebidas, a mais inédita lista dos 20 locais em Portugal que provavelmente ainda não conhece e tem de visitar antes de morrer. Preparado?

Norte

Com tanto de moderno como de muito antigo e tradicional, o Norte ainda esconde locais únicos que a maioria dos portugueses nunca sonhou visitar. Melchior Moreira, presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal, elege o Porto Welcome Center – a maior e mais moderna loja de turismo do mundo – como ponto de partida ou de chegada, onde o turista pode experimentar visitas 3D ou planear roteiros na região. Entre os mais inusitados, propomos:

A aldeia dos hobbits, como também é conhecida Vale de Poldros (Riba de Mouro, Monção), é um exemplo de arquitetura dos povoados de montanha ligados à transumância. É uma branda – uma aldeia onde os vigias (brandeiros) habitavam de verão para levar o gado até pastagens mais ricas, sendo abandonada a partir de setembro, altura em que os brandeiros desciam às suas povoações de origem.

Entre a Régua e o Pinhão, no alto do monte fica S. Leonardo da Galafura, o miradouro onde o Douro e o património vinhateiro tiram o fôlego ao comum mortal e onde Miguel Torga se embrenhava na paisagem do “Doiro sublimado”. Aqui existiu um castro romano, conhecido por Fonte dos Mouros, e há também um cemitério mouro com sepulturas escavadas na rocha.

A EN222, entre o Peso da Régua e o Pinhão, foi considerada a melhor estrada do Mundo para conduzir. Além disso, a paisagem que a acompanha é lindíssima e permite conhecer melhor os motivos que levaram o Alto Douro Vinhateiro a ser classificado de Património da Humanidade.

Centro

O Centro prepara um dos maiores eventos do país em 2017. Pedro Machado, presidente do Turismo do Centro, considera que todos os portugueses deviam visitar o Santuário de Fátima, ao menos uma vez na vida. Estamos “a poucos meses da comemoração do centenário das aparições”, explica, além de que o maior altar mariano do Mundo é “procurado por pessoas de todo o mundo, de todos os credos e religiões, dada a aura de paz e de instrospeção que o rodeia”. Entre uma série de locais ímpares do Centro, selecionamos três especiais:

Geoparque Naturtejo. Nestes 4.600 km quadrados de território há atividades para todos os gostos e 26 roteiros preparados para quem precisar de orientação. Dos fósseis aos geomonumentos com 600 milhões de anos, passando pelos grifos e os veados que ainda por lá habitam, além das aldeias históricas e as minas abandonadas, há muito a descobrir entre a Beira Interior e o Alto Alentejo.

Vale Glaciar do Zêzere. Finalista das 7 maravilhas naturais de Portugal, pode aproveitar para conhecer através da Rota do Glaciar, definida entre a Torre da Serra da Estrela e a vila de Manteigas, permitindo contemplar uma belíssima modelação da paisagem por um glaciar, as pastagens ainda utilizadas pelas ovelhas, as casas típicas da serra e uma série de elementos da fauna e da flora por vezes raros.

Berlengas. Percorrer a maior ilha deste arquipélago com três ilhas, a cerca de 10 km ao largo de Peniche, imaginando as incursões de vikings e procurando os tesouros escondidos por piratas nas grutas é uma aventura inesquecível. Na Berlenda Grande, pode pernoitar no Forte de S. João Baptista, no Hotel Mar e Sol ou no parque de campismo e também há bar e restaurante. A viagem de barco, que dura cerca de meia hora, custa, ida e volta, 20€ por adulto e 10€ por criança (dos 5 aos 12 anos). Outro passeio imperdível pelo mar turquesa leva-o a visitar grutas com nomes sugestivos como cova do sonho, gruta azul, lagosteira, greta da inês ou furado grande (cerca 3€/pessoa).

Lisboa

A capital é dos destinos turísticos mais famosos do mundo e é difícil não ter sido visitada pelos portugueses durante a vida. Porém, a região turística em si contém locais menos famosos com particularidades únicas e imperdíveis, mais propícios a visitas durante o outono e inverno, que selecionámos:

A Reserva Natural do Estuário do Sado é um dos locais que convém visitar entre o outono e o inverno devido à presença de elevado número de aves aquáticas. O acesso é feito através da aldeia da Carrasqueira e, no cais palafítico, pode contratar um passeio de barco pelo Sado e ver golfinhos.

O Moinho de Maré de Corroios é um exemplo notável de engenharia humana com mais de 600 anos e que permite aproveitar a energia das marés para moer cereais. Ainda está funcional, mas após o restauro de 1986 passou a integrar o Ecomuseu Municipal do Seixal.

O Parque Natural da Arrábida, em Sesimbra, contém vários percursos para passeios a pé. Se seguir em direção ao Cabo Espichel, passa pela praia de Lagosteiros onde pode ver as pegadas de Pedra da Mua – um trilho de pegadas de dinossauros com milhões de anos.

Alentejo

Sendo o Alentejo tão heterogéneo e tão único em tantos locais diferentes, desde a Costa Vicentina à Serra de Marvão, resta-nos descobrir aqueles locais que os portugueses nunca ouviram falar ou que muito poucos conhecem.

O Pulo do Lobo, em Mértola, é a mais alta queda de água do Sul de Portugal. Surge em terreno árido e pedregoso, quase inesperadamente. Esta cascata do rio Guadiana está rodeada de lendas e histórias de contrabandistas e é um dos locais mais bonitos do Alentejo. Além disso, Mértola merece visita a acompanhar.

A Gruta do Escoural, em Montemor-o-Novo, é a única caverna do país com arte rupestre. Foi utilizada ao longo de várias épocas, do Paleolítico Médio ao Superior, como abrigo de caça e, mais tarde, como santuário. O Centro Interpretativo pode ser visitado por marcação no posto de turismo de Montemor-o-Novo.

A Capela dos Ossos, em Évora, não é desconhecida dos portugueses, mas consideramos que é um local imperdível que todos deviam visitar pelo menos uma vez na vida. Longe de ser um local tétrico por estar decorado com ossos e caveiras, é um local de reflexão humilde sobre a condição humana. Ali não se distinguem ricos e pobres, novos e velhos, poderosos e desfavorecidos.

Algarve

Mais conhecido pelas praias no verão, o Algarve tem, na verdade, muitos outros encantos por descobrir. Além de algumas sugestões da nossa lista, Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve, destaca um local único: a Tirolesa, em Alcoutim. Segundo o responsável, “este é o primeiro slide transfronteiriço do mundo que permite (re)descobrir o interior do Algarve e o rio Guadiana de forma única e inesquecível, a uma velocidade média de 75 quilómetros por hora”.

Se há lugares incontornáveis e únicos no Mundo, como a Fortaleza de Sagres – o ponto mais Ocidental da Europa – mais conhecidos e a merecer recomendação de, pelo menos, uma visita na vida na região do Algarve, outros são menos concorridos.

A subida da Serra de Mochique através da floresta densa (nos locais onde não ardeu) é uma experiência diferente e com surpresa no final. O miradouro em Fóia, a quase mil metros de altitude, dá ideia de permitir ver todo o Algarve e de uma perspetiva bem distante das praias que lhe dão fama. Prove uma aguardente de medronho e entregue-se à gastronomia única do interior algarvio.

A Ria Formosa é uma das 7 Maravilhas de Portugal e Parque Natural desde 1987, mas poucos conhecem a riqueza natural deste habitat que atrai mais de 20 mil aves aquáticas no outono e no inverno. Passear pela ria é uma experiência única.

Açores

Cada uma das ilhas dos Açores é um “local imperdível” para os portugueses do Continente, na opinião de João Bettencourt, diretor regional do Turismo. Após revermos as propostas da entidade, ficámos com o mesmo dilema. A beleza das paisagens das lagoas e das caldeiras, das baías e dos centros históricos, das grutas e dos vulcões, dos monumentos naturais excêntricos nascidos com as ilhas, restou-nos apenas uma hipótese de seleção. Por contrariar o verde das ilhas e o azul do mar e das lagoas, o deserto vermelho do Barreiro da Faneca, na ilha de Santa Maria será o local mais inesperado de todo um arquipélago imperdível.

Madeira

Os encantos da Madeira escondem-se de quem procura apenas o conforto cosmopolita do Funchal ou as rotas mais conhecidas ao Norte da ilha para ver as casinhas típicas de Santana, já para não falar das praias paradisíacas de Porto Santo. Só quem se embrenha na Floresta Laurissilva, um tipo de floresta que remonta há 20 milhões de anos e que está protegida pela UNESCO na Madeira pelo seu bom estado de conservação, encontra paisagens mágicas e únicas no Mundo. As levadas são uma forma de percorrer a floresta em segurança e a Levada do Caldeirão Verde é das mais bonitas e imperdíveis.

Fonte: Dinheiro Vivo



NOTÍCIAS RELACIONADAS
20/10/2017
Prêmio Oceanos 2017 anuncia os dez livros finalistas; veja a lista
20/10/2017
Enem será aceito no Instituto Politécnico da Maia, em Portugal
20/10/2017
De Portugal para o Brasil: aprenda a fazer quindim
17/10/2017
Plataforma desenvolvida no Porto cria rotas turísticas personalizadas na região Norte
16/10/2017
Centenário: Santuário ofereceu imagem de Nossa Senhora de Fátima ao navegador Ricardo Diniz
16/10/2017
Portugal mantém terceiro lugar no ranking da FIFA