home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

18/10/2016

Mercado melhora projeções para inflação e para juros

Pesquisa feita pelo Banco Central junto a analistas financeiros mostra expectativas mais otimistas para o IPCA e para a Selic

O mercado financeiro está cada vez mais otimista com o custo de vida do brasileiro e com o cenário de juros para o País. Segundo o Boletim Focus, publicação semanal na qual o Banco Central reúne as previsões de cerca de 100 analistas, o quadro melhorou na última semana.

Para a inflação de 2016, os analistas passaram a projetar uma taxa de 7,01%. Uma semana antes, esse número estava em 7,04%. Essa foi a quinta queda consecutiva e, com a melhora, os analistas passaram a ver a possibilidade de uma queda mais intensa na taxa básica de juros.

Depois de dois meses com as apostas do mercado estagnadas em 13,75% ao ano, os analistas passaram a ver um cenário melhor e esperam que o ano termine com os juros em 13,50%.

Para a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que ocorre esta semana, a mediana dos analistas aposta que o Banco Central irá reduzir a taxa em 0,25 ponto percentual, para 14% ao ano.

Reunião do Copom

Caso o cenário desenhado pelo mercado no Boletim Focus se confirme, essa será a primeira queda na taxa desde outubro de 2012, quando o BC passou a Selic de 7,50% ao ano para 7,25%.

Para o próximo ano, o cenário para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) também evoluiu favoravelmente, as expectativas recuaram de 5,06% para 5,04%. Há um mês essa projeção era maior, estava em 5,12%.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Banco Central



NOTÍCIAS RELACIONADAS
21/08/2017
Selecionados 15 alunos para um intercâmbio em Portugal
21/08/2017
Crise impulsiona mudança de brasileiros para Portugal e pedidos de visto crescem 50%, em 2017
21/08/2017
Elite brasileira traz novos negócios para Portugal
18/08/2017
Empresas portuguesas são as que pagam mais tarde
18/08/2017
Web Summit quer encontrar os projetos de sustentabilidade mais inovadores [Portugal]
17/08/2017
Marcelo promulga alargamento dos "vistos gold" mas alerta para "risco"