home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

21/10/2016

Brasil sediará Mercado de Indústrias Culturais da América do Sul em 2018

O Brasil vai realizar, no primeiro semestre de 2018, a terceira edição do Mercado de Indústrias Culturais do Sul (Micsul), considerado o principal encontro regional voltado para mercados culturais e criativos da América do Sul.

O Brasil vai realizar, no primeiro semestre de 2018, a terceira edição do Mercado de Indústrias Culturais do Sul (Micsul), considerado o principal encontro regional voltado para mercados culturais e criativos da América do Sul.

Segundo o secretário da Economia da Cultura do Ministério da Cultura do Brasil, Cláudio Lins de Vasconcelos, o encontro deve acontecer entre março e maio, porque como é um ano eleitoral não é permitido fazer eventos do tipo menos de seis meses antes das eleições.

O governo brasileiro ainda não definiu em qual cidade será realizado o Micsul e vai iniciar as discussões e receber propostas para escolher o melhor local. "Será um lugar importante, de fácil acesso e com infraestrutura para sediar um evento deste porte", disse o secretário, em coletiva de imprensa hoje (20), último dia do Micsul realizado em Bogotá, na Colômbia.

Segundo a ministra da Cultura da Colômbia, Mariana Cordoba, a realização do evento no Brasil será "muito fácil", já que o país teve experiências recentes com grandes eventos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Ela considerou o Micsul realizado em Bogotá um sucesso, com o cumprimento de cerca de 85% das rodadas de negócios agendadas.

A ministra não soube estimar quantos negócios foram fechados no evento, já que a maioria dos encontros terão resultados a médio e longo prazo. "Quase todos os festivais de 2017 já estão agendados, já tem programação, então muitos dos negócios se concretizarão para 2018 ", disse.

Indústria limpa

Cláudio Vasconcelos disse que o Micsul se consolida como um evento essencial neste setor econômico estratégico para o desenvolvimento da região. "Somos um continente aberto, que respira cultura e que tem vantagens competitivas importantes na produção e na difusão dos meios culturais. Devemos continuar investindo neste setor, porque a indústria cultural é uma indústria limpa, que não polui, que emprega muita gente. E que sempre necessitará da criatividade humana", disse.

O Micsul de Bogotá reuniu cerca de 3,5 mil participantes de diversos países da América do Sul, entre artistas, empresários e produtores culturais. Também participaram compradores de países como Estados Unidos e Polônia.

Fonte: Portugal Digital



NOTÍCIAS RELACIONADAS
24/03/2017
Os melhores restaurantes secretos de Lisboa
24/03/2017
Busca por qualidade e bons preços leva turismo médico a crescer 25% ao ano
22/03/2017
PORTUGAL É «UMA BOA PORTA DE ENTRADA PARA A EUROPA E UMA PONTE PARA EXPORTAR E INVESTIR NOUTROS MERCADOS»
22/03/2017
Porto supera Lisboa como distrito com maior procura imobiliária
21/03/2017
O Brasil nunca esteve tão apaixonado por Portugal
21/03/2017
Um paralelo entre os impostos sobre os serviços de Brasil e Portugal