home > notícias

MUNDO

09/11/2016

Jacinto Lucas Pires encenador pela primeira vez com Henrique IV, Parte 3'

O escritor Jacinto Lucas Pires estreia-se hoje, enquanto encenador, com "Henrique IV, Parte 3", da sua própria autoria, que vai estar no Teatro Carlos Alberto, no Porto, até domingo.

"Já trabalho no teatro há muito tempo, mas sou um novato nisto. É a primeira vez que faço uma encenação. Tive a sorte de haver um tempo entre a escrita e a encenação, quase um ano, deu-me tempo para esquecer esse lado, o que é que tinha visto ao escrever", afirmou aos jornalistas Jacinto Lucas Pires, depois de um ensaio para a imprensa.

O texto surgiu "da impossibilidade de fazer o 'Henrique IV', partes 1 e 2 porque não havia dinheiro", reconheceu Lucas Pires, que procurou contornar esse impedimento com a escrita de uma obra que incluísse essas mesmas dificuldades.

"No princípio, [com] um certo pudor de usar Shakespeare numa peça minha, depois comecei a ver que podia funcionar e o Gualter Cunha, o tradutor, autorizou-me a usar o texto que ele traduziu brilhantemente e comecei também a estudar melhor o Falstaff e as peças do Shakespeare e a ver como é que a contracena contemporânea podia mudar ou dar uma nova ressonância às palavras de sempre do Falstaff", disse Lucas Pires referindo-se ao personagem criado pelo escritor inglês.

Assim, num palco despido, com exceção para um círculo como um astro que projeta a sua sombra sobre o chão, o tradutor Henrique (interpretado por Luís Araújo), "um príncipe precário" quer traduzir Shakespeare, "mas tem de passar os dias a fazer traduções técnicas de empilhadoras e autoclismos, para ganhar a vida", como refere a sinopse da peça.

"Iolanda, a mulher [interpretada por Anabela Faustino], trabalha como educadora de infância. Sonha ter filhos, mas só quando conseguirem 'alguma estabilidade'. E há ainda Miriam, a mulher-a-dias [interpretada por Paula Diogo], passeando o seu desprezo tão sedutor pela sala de estar. Henrique vive a vida aos poucos, deixando-se ir -- até que conhece Falstaff, o gordo genial de Shakespeare", acrescenta o texto.

Sobre se dificulta ou facilita ser o autor do texto a encenar, Lucas Pires revela que pode chegar a colocar entraves, em vez de os retirar: "Em geral, não é uma coisa que sinta que é a minha maneira de fazer peças daqui em diante. Gosto do trabalho com encenadores e também gosto, se me derem oportunidade, de trabalhar com outros autores enquanto encenador. Há autores que se tornam um pouco donos do seu texto e acho que até pode ser equívoco às vezes".

"Se forem ver as didascálias que o autor escreveu (e eu conheço o autor e sei que já escreve menos didascálias do que no princípio), foram desmanchadas aqui por este encenador, por estes atores e isso traz coisas novas", explicou o escritor, entre risos.

'Henrique IV, Parte 3' é uma coprodução entre a companhia Ninguém e o Teatro Nacional São João.

Fonte: Noticias ao Minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
20/04/2018
Portugal vai ter este ano 640 praias aprovadas para banhos, mais 99 face a 2017
20/04/2018
Vinte escritores de língua portuguesa no VIII encontro na cidade da Praia
20/04/2018
Dias da música podem ser os últimos da Orquestra de Câmara Portuguesa e dos seus projetos
19/04/2018
Portugal entre os países com mais liberdade do mundo
19/04/2018
Corrida da Mulher junta anónimas e atletas de elite na luta contra o cancro da mama [Portugal]
18/04/2018
Consulado de Portugal em São Paulo leva ao Brasil a primeira exposição de Nuno Sousa Vieira