home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

05/12/2016

Brasil lidera entre as construtoras estrangeiras em Portugal

Empresas brasileiras conseguiram em 2015 gerar quase um terço do emprego na área da construção em Portugal proveniente de empresas estrangeiras.

O Brasil é o país com maior relevo entre as construtoras estrangeiras a operar em Portugal quando o critério de avaliação é o número de empregados, de acordo com os mais recentes números publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o INE, em 2015, entre as filiais estrangeiras que em 2015 atuavam em Portugal, 31,1% do emprego gerado no país era responsabilidade de empresas cujo capital era controlado a partir do Brasil. Espanha, com 26,9%, vinha logo a seguir.

A construção e o imobiliário são, aliás, o único sector em que o Brasil consegue uma posição de destaque em Portugal em termos de pessoas ao serviço, mostram os dados do INE.

Várias construtoras brasileiras de grande dimensão têm presença em Portugal, entre as quais a Odebrecht (que durante anos operou através da empresa lusa Bento Pedroso) e a Andrade Gutierrez. A Camargo Corrêa também está em Portugal, através da cimenteira Cimpor.

No que respeita à criação de emprego, a liderança entre as multinacionais estrangeiras é partilhada por várias origens consoante o sector de atividade: na agricultura é Espanha que lidera (39,3%), na indústria é a Alemanha (22%), na construção o Brasil (31,1%), no comércio a França (32,9%) e nos transportes igualmente a França (46,4%). Na restauração a criação de emprego em Portugal por parte de companhias estrangeiras é liderada por empresas oriundas do Reino Unido (28,8%) e na informação e comunicação é França que está à frente (50%).

Em 2015, existiam 6.239 filiais de empresas estrangeiras a operar em Portugal. No conjunto do setor empresarial não financeiro, em 2015, estas filiais representaram 25,3% do volume de negócios, 24,8% do VAB (valor acrescentado bruto) total e 15,1% do pessoal ao serviço.

Segundo o INE, mais de 75% das filiais estrangeiras eram controladas por empresas sedeadas em Estados-membros da União Europeia, com destaque para a Espanha, França e Alemanha, que continuaram a ocupar as três primeiras posições.

Do total das filiais estrangeiras, explica o INE, as de grande dimensão (354 sociedades) geraram 11,8 mil milhões de euros de VAB, e empregaram mais de 279 mil pessoas, mais 17,3% e 6,2%, respetivamente, que um ano antes.

Fonte: http://www.portugaldigital.com.br/economia/ver/20107541-brasil-lidera-entre-as-construtoras-estrangeiras-em-portugal?utm_term=Newsletter+Portugal+Digital+05%2F12%2F2016&utm_campaign=Portugal+Digital&utm_source=e-goi&utm_medium=email



NOTÍCIAS RELACIONADAS
07/11/2017
António Costa: “Portugal é um ótimo sítio para investir”
07/11/2017
Investimento imobiliário em Portugal reforçado por mais 12 meses
07/11/2017
Há um ano foram ao Web Summit. O que é feito destas startups?
07/11/2017
Governo adota campanha “fortíssima” para atrair Agência do Medicamento
06/11/2017
É mais barato fazer faculdade em Portugal ou no Brasil?
06/11/2017
Organização da Web Summit está “convencida” a ficar em Portugal, diz Ana Lehman