home > notícias

ASSOCIADOS

14/12/2016

McKinsey & Company: Governo assina acordo para desenvolver Internet das Coisas no Brasil

Com um custo total estimado em R$ 17,4 milhões, o estudo técnico terá a maior parte do valor, de R$ 9,8 milhões, investido pelo BNDES

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, assinou nesta segunda-feira, 12, um acordo de cooperação institucional para o desenvolvimento da Internet das Coisas (IoT) no Brasil. As informações são do G1.

O acordo prevê um estudo financiado pelo BNDES e pela iniciativa privada para subsidiar um chamado Plano Nacional de Internet das Coisas, que deve ter duração de cinco anos, entre 2017 e 2022.

Com um custo total estimado em R$ 17,4 milhões, o estudo técnico terá a maior parte do valor, de R$ 9,8 milhões, investido pelo próprio BNDES, enquanto que o restante, R$ 7,6 milhões, ficará a cargo da McKinsey & Company Brasil, que também fará a consultoria do plano.

De acordo com a reportagem, a primeira parte do projeto será voltada para a elaboração de um estudo independente em busca de diagnósticos e propostas de políticas públicas sobre IoT no Brasil.

Além disso, Kassab participou nesta segunda, 12, de uma reunião sobre a implantação no Brasil de uma fábrica de dispositivos semicondutores com tecnologia da Qualcomm (QSIP - Qualcomm System in a Package).

Fonte: http://computerworld.com.br/governo-assina-acordo-para-desenvolver-internet-das-coisas-no-brasil

 



NOTÍCIAS RELACIONADAS
23/05/2018
Cisa Trading: perspectiva é de melhora no desempenho das importações em 2018 [Cisa Trending]
22/05/2018
EY recebe em Londres prémio da melhor Tax Firm [Ernst&Young]
22/05/2018
Bridgestone e Auto Sueco São Paulo oficializam parceria no estado de São Paulo [Nors]
22/05/2018
Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados inaugura centro de treinamento para educação corporativa [Mattos Filho]
22/05/2018
Número de identificação fiscal em Portugal [Nacionalidade Portuguesa]
22/05/2018
Velocidade de raciocínio: porque algumas pessoas pensam mais rápido? [F&F Ensino e Pesquisa]