home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

21/12/2016

Novas oportunidades de colaboração entre organizações europeias e brasileiras

O evento incluiu mais de 180 encontros realizados entre participantes europeus e brasileiros, com o objetivo aumentar o conhecimento sobre o mercado de tecnologias de baixo carbono no Brasil e estabelecer oportunidades de colaboração em áreas relacionadas com as tecnologias de baixo carbono.

25 organizações europeias reuniram-se com 35 organizações brasileiras num evento de matchmaking empresarial, no âmbito da feira Pollutec em Lyon, no dia 29 de novembro, com o intuito de estabelecer oportunidades de colaboração.

A delegação europeia incluiu 18 clusters europeus e sete PME dos seguintes países: Bélgica, Dinamarca, França, Itália, Países Baixos, Portugal, Roménia, Espanha e Reino Unido. Por outro lado, a delegação brasileira foi constituída por 35 participantes, incluindo clusters e associações empresariais, empresas, centros de pesquisa e parques tecnológicos, bem como representantes da administração pública.

O evento, organizado pela European Cluster Collaboration Platform (ECCP) e a Low Carbon Business Action no Brasil (LCBA), incluiu um seminário na manhã, um elevator pitch de cada participante e reuniões de matchmaking preestabelecidas. Os participantes tiveram ainda a oportunidade de participar nos Green Days, atividade oficial de B2B da Pollutec, que se realizou a 30 de novembro, alargando as potenciais oportunidades de colaboração com outras organizações europeias.

 



NOTÍCIAS RELACIONADAS
24/04/2018
Vitalidade do sistema político tem sido preocupação do Presidente da República
24/04/2018
PSI20 sobe 0,30% em linha com ganhos das bolsas europeias
24/04/2018
Governo quer “com urgência” aumentar a oferta no arrendamento e desafia proprietários
20/04/2018
Presidente da República quer finanças públicas saudáveis “ao serviço das pessoas”
20/04/2018
Portugal foi exemplar nas reformas que permitem crescimento atual
20/04/2018
Human Rights Watch elogia Portugal por vencer a crise sem rejeitar a democracia