home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

09/01/2017

Industriais e agricultores com subsídio para poupar energia Leia mais: Industriais e agricultores com subsídio para poupar energia

Os industriais e agricultores que queiram comprar novos equipamentos ou reformular as suas instalações para poupar energia podem candidatar-se a fundos europeus. O prazo acaba a 27 de abril de 2017. Nesta fase haverá 1,350 milhões de euros.

O concurso foi lançado esta terça-feira, ao abrigo do Fundo de Eficiência Energética, e dará subsídios a fundo perdido às empresas industriais e agrícolas que melhorem a sua eficiência energéticas Na prática, os candidatos podem receber até 30% do dinheiro gasto (despesas consideradas elegíveis), até ao máximo de 80 mil euros. Os restantes 70% serão pagos do seu bolso.

Em concreto, adiantou a Secretaria de Estado da Energia na tarde desta terça-feira, podem ser candidatados investimentos que melhorem o desempenho energético das instalações fabris ou agrícolas, a substituição dos equipamentos por outros mais eficientes, a instalação de dispositivos de controlo, entre outros.

Uma condição fundamental é que os investimentos sejam recuperados num espaço de tempo inferior a sete anos.

No total, Fundo de Eficiência Energética dispõe de 1,350 milhões de euros para comparticipar estes investimentos. Em 2016, o fundo já abriu concursos no valor de 6,8 milhões de euros.

Fonte: http://www.jn.pt/economia/interior/industriais-e-agricultores-com-subsidio-para-poupar-energia-5573986.html



NOTÍCIAS RELACIONADAS
18/05/2018
Novo embaixador de Angola em Portugal prioriza consolidação das relações de cooperação
18/05/2018
Portugal XXI: o futuro de Portugal discute-se este sábado em Cascais
18/05/2018
Japão e Brasil buscam promover comércio e investimentos em infraestruturas [Brasil]
18/05/2018
Infraestruturas de Portugal investe 3,4 ME em obras na Linha da Beira Baixa [Portugal]
18/05/2018
Espanha vai convocar Portugal e França para reunião sobre negociação da PAC [Portugal]
16/05/2018
Mercosul e União Europeia podem fechar acordo de livre comércio [Brasil]