home > notícias

MUNDO

10/02/2017

Porque é que o mundo se apaixonou por Fernando Pessoa?

Começa esta quinta-feira o Congresso Fernando Pessoa. Falámos com cinco investigadores estrangeiros e tentámos perceber porque é que 81 anos depois da sua morte o poeta continua a despertar paixões.

Começa esta quinta-feira a quarta edição do Congresso Internacional Fernando Pessoa, que este ano irá decorrer na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. Durante três dias, 42 especialistas de diferentes nacionalidades vão apresentar comunicações inéditas, lançar questões e responder a dúvidas do público, num encontro científico aberto a todos os interessados, estudantes, investigadores ou simplesmente curiosos.

Numa iniciativa que pretende ser um momento de encontro entre especialistas pessoanos, contribuindo “para o estímulo e o avanço da investigação sobre Pessoa”, como sugere uma nota de imprensa divulgada pela Casa Fernando Pessoa, responsável pela organização do congresso, o que salta desde logo à vista é nacionalidade dos oradores — a maioria não é portuguesa, mas sim estrangeira. Um reflexo claro da internacionalização do poeta.

Há muito que nos habituámos a ver na capa dos livros dedicados a Fernando Pessoa o nome de algum investigador estrangeiro. Richard Zenith, que reside em Portugal desde 1987, tem sido um dos principais responsáveis pela divulgação da obra pessoana nos últimos 20 anos, em Portugal mas também além fronteiras. Nascido nos Estados Unidos da América, Zenith tornou-se português por amor a Pessoa, numa altura em que o poeta ainda estava longe de andar nas bocas do mundo. Mas hoje, em 2017, o caso é outro — o Fernando Pessoa do século XXI já não é só nosso, é de todos.

Mas como é que se explica o interesse de tantos investigadores, de tantos países diferentes, numa obra transversal, mas ainda assim tão portuguesa, tão lisboeta? E como é que Fernando Pessoa chega às mãos de quem vive em fora de Portugal? Esta é a história de cinco investigadores, de nacionalidades diferentes, com um poeta em comum.

Saiba mais em:http://observador.pt/especiais/porque-e-que-o-mundo-se-apaixonou-por-fernando-pessoa/



NOTÍCIAS RELACIONADAS
18/08/2017
Descobrir o Brasil em Portugal (ou de como a primeira vez nunca se esquece)
18/08/2017
Descobrir Portugal, trilho a trilho
18/08/2017
Quatro filmes de produção e co-produção portuguesa no Festival de Cinema de Toronto
18/08/2017
Portugal não é branco, nem em primeiro lugar dos brancos"
17/08/2017
Portugal vai candidatar-se à organização do europeu de Maratona BTT
15/08/2017
Portugal vai levar 13 atletas aos mundiais