home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

03/04/2017

Confiança dos consumidores sobe para máximos desde 2000 (Portugal)

O indicador de confiança dos consumidores aumentou entre setembro e março e o indicador de clima económico subiu entre janeiro e março, depois de ter diminuído nos três meses precedentes.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), o indicador de confiança dos consumidores retoma assim "a trajetória positiva observada desde o início de 2013", apresentando o valor mais elevado desde março de 2000".

"A evolução do indicador de confiança dos consumidores no último mês resultou do contributo positivo de todas as componentes, perspetivas relativas à evolução da situação financeira do agregado familiar, da situação económica do país e da poupança e, de forma mais expressiva, das expectativas relativas à evolução do desemprego", sinaliza.

Os indicadores de confiança aumentaram na Construção e Obras Públicas, no Comércio e nos Serviços, tendo estabilizado na Indústria Transformadora.

De acordo com a informação divulgada pelo INE, o indicador de confiança da Indústria Transformadora estabilizou em fevereiro e março, interrompendo a trajetória positiva iniciada em junho de 2016 e refletindo no mês de referência "o contributo negativo das opiniões sobre a procura global, o contributo positivo das perspetivas de produção e o contributo nulo das apreciações sobre a evolução dos 'stocks' de produtos acabados".

Já o indicador de confiança da Construção e Obras Públicas aumentou nos três últimos meses, atingindo o máximo desde julho de 2008, "em resultado da evolução positiva de ambas as componentes, perspetivas de emprego e opiniões sobre a carteira de encomendas".

O indicador de confiança do Comércio, por sua vez, aumentou entre janeiro e março, após ter diminuído nos três meses anteriores, resultado do contributo positivo das perspetivas de atividade, tendo as opiniões sobre o volume de vendas e as apreciações sobre o volume de 'stocks' contribuído negativamente, refere o INE.

De acordo com o instituto, o indicador de confiança dos Serviços tem vindo a aumentar desde dezembro, verificando-se uma evolução positiva no último mês das opiniões sobre a atividade da empresa e sobre a evolução da carteira de encomendas.

Sem a utilização de médias móveis de três meses, os indicadores de confiança da Construção e Obras Públicas, do Comércio e da Indústria Transformadora diminuíram no último mês, acrescenta.

Fonte: Jornal de Notícias



NOTÍCIAS RELACIONADAS
18/08/2017
Empresas portuguesas são as que pagam mais tarde
18/08/2017
Web Summit quer encontrar os projetos de sustentabilidade mais inovadores [Portugal]
17/08/2017
Marcelo promulga alargamento dos "vistos gold" mas alerta para "risco"
17/08/2017
Lisboa regista maior crescimento de rendas de comércio de rua na Europa
17/08/2017
“O Brasil é o principal destino da pera rocha portuguesa”
17/08/2017
Portugal com 37 fusões e aquisições em julho. Somam-se 12 mil milhões de euros este ano