home > notícias

MUNDO

22/05/2017

Portugal já conquistou oito medalhas na Taça do Mundo

Oito medalhas, uma no primeiro dia (sábado) e sete este domingo foi o número de distinções conquistadas pelos canoístas portugueses, na Taça do Mundo de velocidade, em Montemor-o-Velho.

Na manhã deste domingo foram sete as medalhas conquistadas pelos canoístas portugueses.

Destaque para a dobradinha de Joana Vasconcelos/Francisca Laia, o regresso de Fernando Pimenta ao pódio, o ouro de Teresa Portela e a estreia bem sucedida do K4.

Teresa Portela conquistou a medalha de ouro em K1 200 metros, a primeira prova internacional do novo ciclo olímpico. A canoísta do Benfica terminou com 40,26s.

Joana Vasconcelos e Francisca Laia, pela primeira vez em dupla desde 2013, foram prata em K2 200 e K2 500. 

Em C1 200, Hélder Silva e Tiago Tavares foram segundo e terceiro, respetivamente.

Depois do ouro de véspera em K1 1000, Fernando Pimenta foi prata na distância mais curta (K1 500), podendo juntar a estes resultados uma terceira medalha, pois ainda este domingo entra em ação na prova de K1 5000 metros.

Na nova distância (500 metros), o K4 composto por Emanuel Silva/João Ribeiro/David Varela/David Fernandes teve uma estreia bem sucedida, com uma medalha de prata.

Até ao momento o saldo é de oito medalhas para Portugal, fechando o evento com a realização das especialidades mais longas (C1 5000 e K1 5000).

A Taça do Mundo de Montemor recebeu 250 atletas de 28 países, sendo o derradeiro teste organizativo antes dos Mundiais de velocidade em 2018.

Fonte: RTP Notícias



NOTÍCIAS RELACIONADAS
15/10/2018
São portuguesas e foram "extraordinárias" no seu tempo. Sabe quem são?
15/10/2018
Uma das Sete Maravilhas do Mundo, Cristo Redentor completa 87 anos
15/10/2018
CAV de Coimbra explora tema do trabalho em nova exposição
15/10/2018
Associação Aldeias Históricas de Portugal promove cimeira internacional de turismo inédita
15/10/2018
'Foi Deus' é a canção portuguesa mais votada para o primeiro Cancioneiro da UE
15/10/2018
Uma 'antologia mínima' para descobrir ou redescobrir Fernando Pessoa