home > notícias

MUNDO

30/05/2017

A maior Feira do Livro de Lisboa

De regresso à cidade de Lisboa, a 87.ª edição da Feira do Livro de Lisboa traz novidades que vão surpreender todos os que a visitem, entre 1 e 18 de junho, no Parque Eduardo VII. Com dez novos participantes – somando um total de 122 -, um número recorde de pavilhões (286) e subindo mais meio talhão do Parque, a edição deste ano está maior e promete atrair ainda mais visitantes.

A inaugurar no Dia Mundial da Criança, e porque a Feira do Livro de Lisboa desenvolve um trabalho intenso na promoção dos hábitos de leitura junto dos mais novos, neste dia a programação será inteiramente dedicada aos futuros grandes leitores. Um mural de ilustração, oficinas de reciclagem, musicais e de ilustração, histórias, paradas circenses, parkour, capoeira, música, mascotes e tantas outras atividades que vão animar o Parque neste primeiro dia de festa.
 
Mas as novidades da 87.ª edição da Feira do Livro de Lisboa não se ficam por aqui. O recinto vai contar, este ano, com dois novos espaços: um Fraldário, localizado na entrada sul da Feira, com áreas mais reservadas para alimentação dos bebés e muda-fraldas; e um “Refrescão”, uma zona dedicada aos visitantes de quatro patas onde os animais podem desfrutar de um momento de descanso e parar para beber água enquanto acompanham os donos pela maior festa literária do país.

Não sendo propriamente uma estreia na Feira, mas mantendo-se como uma das iniciativas pela qual os visitantes mais anseiam, a Hora H está de volta. Trata-se de uma oportunidade para comprar livros fora dos 18 meses do preço fixo, com o desconto mínimo de 50%, nos pavilhões dos participantes aderentes. A Hora H inicia-se no dia 5 de junho e realiza-se de segunda a quinta-feira, durante a última hora da Feira (22h00 às 23h00).
 
A APEL, associação que organiza e promove a Feira do Livro de Lisboa desde o seu primeiro ano, também terá um novo pavilhão nesta edição. Localizado junto à entrada Sul (Praça Marquês de Pombal), este espaço dará a oportunidade a todos os visitantes de conhecerem melhor a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros, assim como curiosidades relacionadas com o setor da edição e do livro (nacional e internacional) e com a própria Feira do Livro de Lisboa.
 
Já as Bibliotecas de Lisboa, que voltam a marcar presença este ano, contarão com um verdadeiro espaço de biblioteca fazendo alusão à Biblioteca Palácio das Galveias, com peças dramáticas “desenhadas” numa simulação de gravura antiga. A programação desenhada reflete o papel destas bibliotecas neste século, oferecendo atividades e experiências culturais e artísticas.
 
Sendo um dos objetivos da APEL alargar os horizontes da Feira do Livro de Lisboa, promovendo a sua internacionalização, a Feira volta a receber a visita de editores estrangeiros (alemães, franceses e italianos), em iniciativas da AICEP, Instituto Camões e embaixadas portuguesas no estrangeiro, que a APEL reconhece e apoia, com o objetivo de dar a conhecer aquilo que de melhor se faz em Portugal no campo da edição de livros. A própria APEL convidou vários presidentes de associações congéneres na Europa para se deslocarem a Lisboa por ocasião da Feira, repetindo uma iniciativa já tomada no ano passado.

Parceiro da Feira do Livro de Lisboa, a Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS) irá promover, na Praça Azul, vários lançamentos de livros e debates com temas tão distintos da atualidade como “Trás-os-Montes: condenado ao abandono?”, com a presença de José Rentes de Carvalho e Henrique; “Made in Portugal: Quais os Sucessos?”, com a presença do autor Filipe S. Fernandes e com a participação do jornalista António Costa, Diretor do ECO; ou o ensaio “Democracia: estará mesmo em deterioração?”, com a presença de Manuel Braga da Cruz, António Costa Pinto e Pedro Tavares de Almeida, moderado pelo jornalista Diogo Queiroz Andrade.
 
Para os visitantes mais digitais, a Feira do Livro de Lisboa disponibiliza uma aplicação móvel gratuita para Android e iOS, através da qual o utilizador pode aceder ao Mapa do recinto, à Programação, aos Livros do Dia e outros conteúdos que permitem acompanhar, em tempo real, todas as atividades e iniciativas do evento. Ainda no campo das novas tecnologias, a 87.ª edição vai disponibilizar Wi-Fi gratuito nas principais praças do recinto para que os visitantes possam aceder à Internet comodamente.
 
No que aos serviços e comodidades diz respeito a Feira volta a disponibilizar, aos seus visitantes, duas caixas multibanco, disponibilizadas pela Caixa Geral de Depósitos, facilitando assim os seus levantamentos e transações.
 
Os voluntários também regressam à grande festa do livro esta edição, com o objetivo de apoiar os visitantes e auxiliar pessoas com mobilidade reduzida, garantindo a todos uma melhor experiência na Feira do Livro de Lisboa. Foram rececionadas cerca de 50 candidaturas, com a particularidade de vários candidatos pretenderem repetir a experiência.
 
Da programação desta edição destaca-se ainda, entre os já habituais lançamentos, sessões de autógrafos e debates, Noites de Cinema promovidas pela Cinemateca Portuguesa (com a exibição de filmes baseados em obras de autores portugueses) e o II Encontro Literário “Nós e os Livros”, que se realiza a 11 de junho. Uma iniciativa que reúne, num ambiente informal e descontraído, adeptos da literatura para conversas em torno de um interesse em comum: o livro.
 
A Gastronomia e os Livros
Sendo a Gastronomia uma tendência atual que reúne o interesse de muitos portugueses, a Feira do Livro de Lisboa acolhe a iniciativa Portugal Cookbook Fair, dedicada a celebrar e promover a gastronomia em livro. Nesta primeira edição, a iniciativa com organização da Brandscape em parceria com a APEL, pretende destacar os conteúdos de gastronomia publicados em livro, assim como os protagonistas associados a estas obras.
 
As principais atividades do Portugal Cookbook Fair irão decorrer entre os dias 1 e 4 de junho e da programação destacam-se Sessões de Show Cooking – num espaço que inclui uma cozinha profissional na qual os autores vão poder interagir com o público fazendo a apresentação das receitas publicadas nos seus livros – e as Conversas com Sabor. Esta última convida autores de livros de gastronomia, nutrição, sobre ingredientes ou comportamento alimentar, a conversar com o público sobre temas relacionados com este universo. Justa Nobre, Henrique Sá Pessoa, João Carlos Silva (vindo de São Tomé e Príncipe) e a Chef Andrea Henrique (do Brasil), são presenças já confirmadas. De destacar, igualmente, a atribuição de Prémios aos melhores livros de Gastronomia publicados em 2016. São oito as categorias a concurso (Livro do Ano, Capa do Ano, Fotografia, Design, Editor, TOP Vendas Nacional, TOP Adaptação Internacional e Escolha do Público) e os prémios serão entregues a 2 de junho, pelas 18h30, tendo sido atribuídos por um júri presidido por Maria de Lurdes Modesto e composto por Carlos Coelho, Chef Pedro Sommer, Teresa Vivas e Alexandra Prado Coelho.
 
E porque a Feira também é um espaço de lazer, o conceito de restauração continua a ganhar destaque contando, esta edição, com 10 espaços renovados. Assim, entre compras, debates e sessões de autógrafos, todos os visitantes vão poder desfrutar das mais variadas iguarias, desde a tradicional fartura, pipocas ou bifanas, a espaços inovadores e gourmet como cozinha vegetariana, italiana, americana e, ainda, uma nova seleção de espaços com petiscos e tapas para um momento de lazer ao final da tarde. Entre novidades e “repetentes” no evento, são mais de 40 os espaços dedicados à restauração.
 
Dar nova vida ao Livro: Porque todos os livros merecem um final feliz!

Depois do sucesso das últimas edições, a APEL e o Banco de Bens Doados (BBD) trazem de volta a iniciativa Dê Nova Vida ao Livro, com o objetivo de fomentar os hábitos de leitura entre os portugueses, sobretudo nas camadas mais jovens e com menor acessibilidade.
 
Assim, junto à entrada Sul do Parque Eduardo VII, os visitantes da Feira vão encontrar um Pavilhão onde poderão depositar os livros que desejem doar. Livros usados, infantis ou para adultos, a quantidade angariada será, à semelhança das edições anteriores, doada às Instituições que fazem parte da rede do BBD. A novidade desta edição é que serão, também, aceites livros para reciclar, sendo que neste caso os mesmos revertem para a campanha Papel por Alimento. O ano passado foram angariados cerca de 4.000 livros e a organização espera, este ano, superar este número.
 
A “mini” Feira do Livro
No primeiro dia de Feira o destaque vai para as crianças – não fosse o dia 1 de junho dedicado aos pequenos leitores – e a Feira abre às 10h00. Logo pelas 10h30, o certame recebe a Orquestra Tradicional da Casa Pia e a já tradicional parada de Mascotes, que tem vindo a encantar os mais pequenos ano após ano. Ainda no período da manhã, o Mural de Ilustração da Feira (mais uma novidade desta edição, dedicado à arte urbana) recebe os ilustradores André da Loba, Paulo Galindro e João Rodrigues, enquanto a GetZen promove, no espaço das Bibliotecas de Lisboa (BLX) e no relvado, jogos tradicionais, pinturas faciais e uma divertida e criativa Oficina de Reciclagem. Há, ainda, um Spot Real com uma Academia de Parkour.

Mas as atividades e diversões não ficam por aqui. No stand das BLX, ao final da manhã, há Oficinas de Ilustração com Ana Sofia Gonçalves e Maria Remédio; uma Oficina Musical a cargo do Conservatório de Música de Sintra; uma Oficina de Capoeira conduzida pelo Chapitô; uma sessão de Yoga com Histórias e Artes Circenses com o Gato Ruim, da GetZen; uma Oficina de Malabarismos e Equilíbrios, organizada pelo Chapitô; e um workshop de alimentação saudável, organizada pela GetZen.

No período da tarde os visitantes da Feira vão poder participar e assistir à Parada Circense, conduzida pelo Chapitô; ao Concerto da Banda do Regimento de Sapadores Bombeiros; à peça de teatro O Rei Ludo vai à Feira do Livro; à Oficina de Ilustração por Rachel Caiano; à Oficina Aéreos e Magia do Chapitô; ao momento ‘TUM TUM TUM. Que histórias vais contar?’ do Conservatório de Música de Sintra; à Oficina de Origami da GetZen; ao Show de Magia; e às Artes Circenses do Gato Ruim.

Ainda para assinalar este dia, a CELPA (Associação da Indústria Papeleira) vai distribuir pequenas árvores pelos mais pequenos visitantes da Feira, numa ação de sensibilização para a importância da proteção do meio ambiente e renovação do parque florestal.
 
Mas não só o dia 1 de junho terá atividades a pensar nos mais novos. Os restantes dias da Feira contarão com inúmeras atividades pensadas para toda a família. É o caso do Acampar com Histórias, que se repete pelo terceiro ano consecutivo, depois de vários sucessos, em parceria com as BLX e com o apoio da McDonald’s.
 
Nos dias 2, 3, 9, 10, 12, 14, 16 e 17, 120 crianças, com idades entre os 8 e os 10 anos, vão poder dormir em plena Feira do Livro de Lisboa (na Estufa Fria), sonhando com livros, histórias e fantasias. Uma experiência verdadeiramente única e diferenciadora, que pretende fomentar o gosto pela leitura, que inclui uma visita ao recinto, um jantar e muitas surpresas e atividades desde jogos, leituras de contos e histórias, ilustrações, música, um peddy paper, entre outras.
 
A 87.ª edição da Feira do Livro de Lisboa é organizada pela APEL – Associação Portuguesa de Editores e Livreiros em colaboração com a Câmara Municipal de Lisboa e conta com o apoio das Bibliotecas de Lisboa, entidade responsável pelo desenvolvimento da programação cultural, com especial incidência nas iniciativas destinadas ao público infantil e às famílias, a decorrer no Espaço Infantil da Feira. O horário para visitar o certame repete-se uma vez mais: entre segunda e quinta-feira das 12h30 às 23h00; sextas-feiras das 12h30 às 00h00; sábados das 11h00 às 00h00; e domingos e feriados das 11h00 às 23h00.
 
A Inauguração oficial está marcada para as 15h00 do dia 1 de junho, numa cerimónia que contará com momentos oficiais e que será, também, marcada pela música e pelas atividades infantis, a pensar nos mais novos.

Fonte: Portugal Global



NOTÍCIAS RELACIONADAS
25/05/2018
Gilberto Gil, Carlos do Carmo e Carminho dão concertos grátis nas Festas de Lisboa
22/05/2018
Coprodução Brasil-Portugal com temática indígena é premiada em Cannes
22/05/2018
Vinhos de Portugal terá recorde de produtores
22/05/2018
Ministro da Cultura felicita representantes do cinema português no Festival de Cannes
21/05/2018
Português Bordalo II entrega escultura à cidade de São Paulo
18/05/2018
Ao terceiro ano, “Junho, Mês de Portugal” inova e traz ‘workshop’ de cinema por Catarina Mourão