home > notícias

MUNDO

04/07/2017

Daniela Mercury: "Em Portugal, sinto-me respeitada como artista"

Artista brasileira atuou em Anadia, num espetáculo com "recorde de público". Esteve à conversa com a TVI24, onde falou das raízes portuguesas e do comprometimento social.

Daniela Mercury é conhecida por ser a rainha do Axé, mas, nas veias, corre-lhe sangue português. O pai da cantora nasceu em Portugal. Daniela voltou a atuar deste lado do Atlântico e, desta vez, brilhou no palco Anadia Capital do Espumante, no último sábado, na 14ª Feira da Vinha e do Vinho, em Anadia. 

A cantora brasileira, que já conta com mais de 30 anos de carreira, esteve à conversa com a TVI24, minutos antes de subir ao palco.

Numa conversa intimista, Daniela Mercury contou que a música lhe preenche a vida desde sempre. Foi o pai, um mecânico português, que sempre lhe "apresentou o melhor da música, desde pequena".

Não dá para pensar em mim sem música, seja lá como for”.

Em Portugal, sinto uma mistura de sensações. Sinto-me muito respeitada como artista. Muito compreendida. Isso é uma coisa que me faz vir aqui e entregar-me (...). É muito mágico, principalmente por essa compreensão, por me sentir compreendida nas canções, sem precisar de me explicar muito”.

A artista afirmou “ter vontade de conhecer Portugal de ponta a ponta” e referiu que aqui “há uma relação profunda com a minha arte. É como se, de alguma forma, pudesse devolver o lado português que eu tenho e o lado português que o Brasil tem.”

Para a artista, que já conta com 19 álbuns lançados e 7 DVD’s gravados, “são os sonhos” que a movem e é isso que a faz manter a mesma energia de sempre. O concerto em Anadia foi o segundo em Portugal da digressão atual da cantora.

O público daqui dança mais. Sempre cantou muito. Eu digo que os portugueses foram sempre os mais cantores. Eles batem palmas com os ritmos que eu trouxe para cá. Fico muito feliz com isso. Eu aprendi em casa os ritmos daqui, porque sou filha de português. E agora vocês também já sabem os ritmos do samba. É incrível nós trazermos uma música específica de um lugar e virar uma música do mundo. Isso deixa-me felicíssima e faz-me perceber a musicalidade do povo português, que absorve uma coisa que não é do quotidiano deles.” 

Sucesso é fruto da “criatividade”
Depois de ter conquistado vários prémios, Daniela defendeu, na entrevista à TVI24 que são fruto de “criatividade”. Nos seus trabalhos, a cantora tenta “procurar elementos que possam fazer a diferença".

A arte tem de procurar algo que nunca tenha sido feito por ninguém. Eu procuro sempre encontrar algo original para fazer. Estou sempre a alimentar-me disso e isso é um elemento importante no meu trabalho”. 

A cantora revelou que é quem é e compõe como compõe porque tem uma vasta “experiência de vida”. 

A cada lado a que fui percebi o lado das pessoas, porque a arte personaliza as coisas e o capitalismo classifica as pessoas. É a arte que nos conecta, então eu tento procurar o lugar que faz essa conexão.”

Na opinião da brasileira, “os discos só vendem, as músicas só tocam, as pessoas só absorvem porque elas se identificam”. O foco de Daniela é estar “sempre a inventar coisas novas, o que não é muito fácil, porque as pessoas se acostumam ao que somos”. 

Além de ser cantora, compositora, instrumentista e produtora musical, Daniela Mercury ainda encontra tempo para lutar pelos direitos humanos, estando comprometida com várias causas. Para ela, a arte e a luta por causas andam lado a lado.

A minha música tem comprometimento político, por exemplo. Falo das causas LGBT, inevitáveis atualmente na minha vida, que sempre foram fortes. Falei sempre de igualdade, de felicidade, da beleza do que somos. Eu envolvo-me nas coisas porque é uma paixão. É uma paixão igual à da música. Eu faço música para que a humanidade fique mais feliz. É com essa simplicidade que comecei a fazer música.”

Também as influências da mãe, uma assistente social de ascendência italiana, foram fulcrais. Daniela desvendou que “ninguém sai ilesa de uma mãe assistente social".

Eu fui educada desde pequena na cumplicidade com a humanidade. Nós não vivemos sozinhos e não me interessa ser feliz sozinha.”

No final do espetáculo, a assessoria da cantora fez questão de publicar uma imagem do espetáculo de Anadia no Instagram, onde agradeceu o "recorde de público".

Fonte: TVI24



NOTÍCIAS RELACIONADAS
15/10/2018
São portuguesas e foram "extraordinárias" no seu tempo. Sabe quem são?
15/10/2018
Uma das Sete Maravilhas do Mundo, Cristo Redentor completa 87 anos
15/10/2018
CAV de Coimbra explora tema do trabalho em nova exposição
15/10/2018
Associação Aldeias Históricas de Portugal promove cimeira internacional de turismo inédita
15/10/2018
'Foi Deus' é a canção portuguesa mais votada para o primeiro Cancioneiro da UE
15/10/2018
Uma 'antologia mínima' para descobrir ou redescobrir Fernando Pessoa