home > notícias

ASSOCIADOS

25/08/2017

Empresários e autoridades do MDIC debatem competitividade da indústria siderúrgica brasileira [McKinsey & Company]

Brasília  – O ministro substituto do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Jorge de Lima, ao presidir o segundo painel do 28º Congresso Aço Brasil, na tarde desta quarta-feira (23), falou sobre a relevância do setor de aço para a economia brasileira e apresentou dados sobre o desempenho da indústria sidero-metalúrgica tanto no Brasil quanto no comércio exterior.

Segundo Marcos Jorge, são 30 usinas, administradas por 11 grupos empresarias, com uma capacidade instalada de quase 49 milhões de toneladas ao ano de aço bruto, contando com mais de 111 mil colaboradores. Ele ressaltou ainda que a produção de aço brasileira alcançou os 30,2 milhões de toneladas em 2016, classificando o país em 8° lugar no ranking dos maiores países na siderurgia global.

“Além dos números expressivos, a indústria siderúrgica é essencial para diversas cadeias produtivas. Entre os principais consumidores de aço estão os setores de construção civil, automotivo, bens de capital, máquinas e equipamentos, utilidades domésticas e comerciais”, disse.

Em seu discurso, o ministrou também falou sobre o desempenho da indústria brasileira no mercado internacional. No contexto global, o Brasil é o 11° maior exportador mundial de aço, vendendo para mais de 100 países, gerando um saldo comercial de US$ 3,7 bilhões no 1° semestre de 2017, o equivalente a 7,3 milhões de toneladas de aço exportado. “Há bastante espaço para mudanças e acreditamos que o poder público, em conjunto com o setor produtivo, deve concentrar esforços para tornar nossa indústria mais produtiva e inovadora, com real capacidade para competir no mercado internacional”, afirmou.

Competitividade

Além de Marcos Jorge, participaram do Painel Fatores Limitativos à Competitividade no Brasil, o conselheiro do Instituto Aço Brasil e presidente da ArcelorMittal Brasil, Benjamin Mario Baptista, o presidente do Conselho de Empresários da América Latina (CEAL), Roberto Giannetti da Fonseca, o sócio da McKinsey & Company, Wieland Gurlit, e o senador Armando Monteiro.

Os empresários debateram fatores que prejudicam a competitividade brasileira, as vantagens e desvantagens da indústria no comércio exterior e as principais dificuldades do setor para ter um melhor desempenho no mercado internacional. O Congresso Aço Brasil, promovido anualmente pelo Instituto Aço Brasil, é o mais importante evento da cadeia sidero-metalúrgica do país.

Fonte: Comex do Brasil



NOTÍCIAS RELACIONADAS
18/05/2018
E-Social – Sua empresa está preparada? [Master Consultores]
18/05/2018
Tivoli Hotels & Resorts estará no Casar 2018 [Tivoli Mofarrej]
17/05/2018
Advogados do Opice Blum são convidados pelo MIT para integrar júri [Opice Blum Advogados]
15/05/2018
Quais são as profissões que estão em falta em Portugal? [Nacionalidade Portuguesa]
15/05/2018
EY mostra tendência estratégica para competir em ambiente de rápida evolução da tecnologia [Ernst & Young]
15/05/2018
Avanços na área da memória dentro do cérebro [F&F Ensino & Pesquisa]