home > notícias

MUNDO

18/09/2017

E fácil ser feliz em Portugal

Sozinha no Porto, busco referências sobre restaurantes bons e baratos na cidade. E um blog português de viagens recomenda entre tantos, a Adega do Quim, para petiscos  e bebidas.  Na lista, iscas de fígado, moelas, essas coisinhas  que tanta gente adora ou por elas tem asco.
 
A Adega do Quim fica bem do ladinho da linda Estação São Bento, no coração do Porto antigo. Depois de uma caminhada desde a Praça da Batalha, onde estava meu hotel, passando pela linda Igreja da Trindade, eis que ela me aparece, de repente. A fome já me fazia, então,  dar uma olhada ao redor à procura de algum lugarzinho simpático pra já entrar.

Surpresa - não havia feito nenhuma outra pesquisa na internet - a Adega, na verdade uma tasca bem simples, oferece  boas opções de pratos para almoço e jantar, alguns bem baratos a cinco euros. Tudo que de imediato me apeteceu já estava esgotado porque dificilmente armazenam ingredientes por falta de espaço. Por isso, tudo que oferecem é comprado no dia, em feiras e mercados bem cedo. 

Os pratos, com o passar da hora, vão saindo do cardápio, deixando só água na boca de quem chegou mais tarde. Pedi o Bacalhau à Braga, a única opção que restava com tal iguaria. Antes, subi as escadinhas da tasca para ver se a sala do piso superior estava mais agradável. Realmente estava, mesas com toalhas de tecido e grandes janelas para a  Rua da Madeira. Os últimos clientes já pagavam a conta. Mas havia baldes para acolherem goteiras produzidas pelo ar condicionado. Preferi o pequeno espaço do térreo que tem apenas três mesas com toalhas de plástico. Sanduiches só são servidos no balcão para quem não se importa de comer com pouco conforto. 

O bacalhau pedido  não demorou a chegar pelas mãos da cozinheira que trazia não só o meu, mas também o dela. Devidamente paramentada, perguntou se poderia almoçar comigo. Concordei, achando certa graça no que acontecia. E passamos algum tempo conversando sobre... comida, é claro. Logo em seguida, vejo o garçom que me havia atendido de início, também pedir licença e sentar-se para almoçar com outro cliente. 

Me senti entre amigos. E o bacalhau, com a tradicional cobertura de cebolas adocicadas,  ficou ainda mais delicioso. Depois fui passear pelas vielas da Ribeira, anotando outros endereços que se mostravam bastante promissores pela visível alegria da clientela local e de fora  com  o serviço, a  comida e o preço. Voltarei para experimentá-las. Depois eu conto para vocês. Precisamos de bem pouco dinheiro para ser feliz em Portugal.

Fonte: Globo



NOTÍCIAS RELACIONADAS
19/09/2018
Animação portuguesa candidata a nomeação aos prémios César
19/09/2018
RTP já tem Festival da Canção 2019 em andamento
19/09/2018
Semana das Culturas Estrangeiras em Paris com programação portuguesa
19/09/2018
Ronaldo: "Christianinho diz que vai ser melhor do que eu mas penso que será difícil"
19/09/2018
Mostra em São Paulo traz obras de Rafael nunca expostas no Brasil
19/09/2018
Turismo de Portugal volta a estar presente na mais importante feira de turismo São Paulo