home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

10/10/2017

Os portugueses confiam mais nas PME

As PME são as instituições que os portugueses mais confiam, os Órgãos de Comunicação Social, a ONU e FMI, também registam grande confiança.
As Pequenas e Médias Empresas (PME) são as instituições em que os portugueses mais confiam, com 65% de opiniões favoráveis, num estudo levado a cabo pelo Observador Cetelem Consumo 2017. Esta é uma tendência generalizada entre os 15 países europeus inquiridos pelo estudo, sendo que a média europeia é de 63%.

 
Já as marcas encontram-se entre as mais confiáveis, 49%, um dos resultados mais elevados no que concerne aos 15 países alvo deste estudo – e 3% acima da média global. Os austríacos e os dinamarqueses são os países que mais confiam nas PME (75%). Os húngaros são os mais reservas levantam, com apenas 43% dos inquiridos a manifestar a sua confiança nas pequenas e médias empresas.
 
O estudo foi realizado em 15 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Dinamarca, Espanha, França, Hungria, Itália, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia, Reino Unido e Eslováquia, e dá conta ainda que, a confiança dos portugueses nas grandes empresas não vai além dos 36%, enquanto bancos, seguradoras e financeiras merecem a confiança de apenas 20% dos inquiridos. Uma tendência europeia. Por outro lado, Portugal revela, ainda, um índice de confiança superior ao de outros países quando são as instituições europeias que estão em causa, com 36% – mais 4 pontos percentuais que a média.
 
Os inquiridos búlgaros são os mais confiantes, com 45%, seguidos dos dinamarqueses, com 43%. Os checos encontram-se no polo oposto, com 19%. No que diz respeito às grandes instituições, como a ONU e FMI, os portugueses são dos que mais acreditam nesses organismos, com 47% de confiança (média global de 40%, com maior incidência na Dinamarca, 55%, e Reino Unido, 49%). Os portugueses também revelam confiança nos meios de comunicação tradicionais, sendo mesmo o país com melhores resultados (47%), apenas ultrapassados pelos dinamarqueses, com 61%, e os búlgaros, 48%. A média global europeia é de 40%.
 
No caso de outros media na Internet, 43% dos portugueses inquiridos asseguram confiar nas informações de blogues ou fóruns, mais uma vez acima da média europeia (40%). Já as redes sociais merecem maior desconfiança e a sua aceitação não ultrapassa os 32%, apenas mais 1 ponto percentual que a média do estudo. No que diz respeito à Justiça, o valor de confiança dos portugueses está abaixo da média dos 15 países inquirido, que é de 32%, quando em Portugal se fica pelos 27%.

Fonte: Portugal Global



NOTÍCIAS RELACIONADAS
16/07/2018
Portugal pretende retomar lugar no comércio bilateral [Portugal]
16/07/2018
Quer morar em Portugal? Visto de empreendedor é opção [Portugal]
16/07/2018
Sete motivos que levam ao crescimento do comércio eletrônico no Brasil [Brasil]
16/07/2018
Mulheres Empreendedoras vão mostrar sua força nos negócios durante a BMB [Brasil]
16/07/2018
Brasil lidera fluxo de investimento de mais longo prazo entre emergentes [Brasil]
16/07/2018
Empreendedorismo de impacto social cresce no Brasil [Brasil]