home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

30/01/2018

BE não percebe indignação da Altice porque Portugal não é a "república das bananas"

Mafra, Lisboa, 29 jan (Lusa)- A coordenadora do BE, Catarina Martins, disse hoje não compreender a indignação da Altice nem o seu pedido de audiência ao presidente da Assembleia da República, referindo que Portugal não é uma "república das bananas".

"Confesso que não percebo a indignação da Altice, a não ser que a Altice achasse que Portugal era uma república das bananas, em que uma empresa podia cá chegar e fazer o que bem lhe apetece mesmo que todos os reguladores digam que não está a funcionar bem", afirmou Catarina Martins, à margem de uma sessão com alunos sobre igualdade de género, na Escola Secundária José Saramago, em Mafra.

Em comunicado, o Grupo Altice informou que "irá solicitar uma audiência com caráter de urgência ao presidente da Assembleia da República, para expor a sua indignação" face à intenção do BE de apresentar, no parlamento, uma proposta para nacionalizar as infraestruturas da Altice relacionadas com a rede de emergência SIRESP, rede universal de comunicações e Televisão Digital Terrestre.

Catarina Martins reiterou que o BE vai apresentar, na Assembleia da República, uma proposta para nacionalizar a rede de infraestruturas detidas pela Altice.

"Temos problemas de infraestruturas e [a Alltice] não estão a responder àquilo que devem responder", defendeu a coordenadora do BE, lembrando que a Altice "não é uma operadora de telecomunicações normal que possa ser comparada às outras operadoras de telecomunicações privadas, porque tem redes de infraestruturas do país que mais nenhuma operadora tem".

Segundo a líder bloquista, o Estado deve intervir para não haver uma "concentração de comunicações", depois de a Altice ter também demonstrado interesse na compra de órgãos de comunicação social.

Comentando declarações do deputado do BE Heitor de Sousa ao semanário Expresso, o Grupo Altice refere que são de "uma enorme gravidade pelo vasto conjunto de factos e informações falsas que invoca", acusando o deputado de não ter pedido esclarecimentos à empresa "sobre os temas que ignorante ou maleficamente aborda".

Para a Altice, "é um claro desrespeito, em primeiro lugar pelo parlamento e em segundo por quem gera valor, cria emprego e dinamiza a economia nacional" e, nas telecomunicações, mais investe em Portugal.

Fonte: https://www.dn.pt/lusa/interior/be-nao-percebe-indignacao-da-altice-porque-portugal-nao-e-a-republica-das-bananas-9082921.html



NOTÍCIAS RELACIONADAS
16/01/2019
Comércio varejista cresce 2,9% de outubro para novembro, diz IBGE [Brasil]
16/01/2019
Cafeicultores brasileiros querem acordo com União Europeia [Brasil]
16/01/2019
Fosun diz que Portugal < acolhe bem > o investimento chinês [Portugal e China]
16/01/2019
Economia brasileira continua recuperação e PIB aumenta para 2,4% [Brasil]
16/01/2019
Chineses investiram 10 mil milhões de euros em Portugal em 2018 [Portugal e China]
16/01/2019
Fundo privado português de 46 milhões vai investir em 'startups' [Portugal]