home > notícias

MUNDO

08/02/2018

Eduardo Lourenço apresenta obra que ajuda a pensar a literatura lusa

Em comunicado, o Instituto Camões afirma que se trata de "uma antologia crítica de textos literários e ensaísticos da literatura portuguesa, desde as origens até a contemporaneidade". Os textos, em edição bilíngue, português e italiano, e o livro, "através de uma nova estrutura crítica e conceitual, pretende fornecer ao leitor italiano -- não só universitário mas também a todos os que estiverem interessados na cultura e na História de Portugal -- as fontes primárias e os contextos indispensáveis para 'pensar', e não só para ler, a literatura portuguesa".

 

A obra é dividida em três grandes partes: "Desde a formação de Portugal ao Império (1139-1580)", "O Império português e os seus simulacros: da Índia ao Brasil e retorno (1580-1851)", e "O 'esplendor de Portugal' e o seu além: desde a crise da monarquia constitucionalista ao Portugal contemporâneo (1851 até hoje)". A antologia literária inclui 180 textos.

Roberto Vecchi é professor catedrático de Literatura Portuguesa e Brasileira e de História da Cultura Portuguesa, na Universidade de Bolonha, no norte de Itália, dirige o Departamento de Línguas, Literatura e Culturas Modernas desta Universidade e, com Margarida Calafate Ribeiro, coordena a Cátedra Eduardo Lourenço.

Em Portugal, é investigador associado do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. Até 2019, é "honorary professor of Lusophone Studies at the School of Cultures, Languages and Area Studies", na Universidade de Nottingham, em Inglaterra, e preside desde 2014 à Associação Internacional de Lusitanistas.

Vecchi é autor, entre outros títulos, de "Exceção atlântica. Pensar a literatura da guerra colonial" (2010), com Margarida Calafate Ribeiro, de "José Luandino Vieira, Papéis da prisão" (2015), com Mônica Silva, e coordenou a "Antologia da memória poética da guerra colonial" (2011),

Vincenzo Russo é professor de Literatura Portuguesa e Brasileira na Universidade de Milão, em Itália, foi bolseiro do Instituto Camões (2003) e da Scuola Superiore di Studi Umanistici de Umberto Eco, na Universidade de Bolonha (2004-05).

Segundo o Instituto Camões, entre as suas linhas de investigação destaca-se a poesia moderna e contemporânea portuguesa, o pensamento em português dos séculos XIX e XX, os estudos pós-coloniais, as literaturas africanas e a literatura brasileira contemporânea.

Russo tem vários ensaios e artigos publicados em Itália, Portugal, Brasil e Inglaterra. Entre as suas obras constam "Tenebre Bianche. Immaginari coloniali fin-de-siècle" (2008), "Suspeita do Avesso. Barroco e Neo-Barroco na Poesia Portuguesa Contemporânea" (2008) e "Tabucchi o del Novecento" (2013).

O catedrático transalpino publicou edições italianas de autores portugueses, brasileiros e angolanos, designadamente Barbosa du Bocage, Fernando Pessoa, Eduardo Lourenço, António Ramos Rosa, Eça de Queirós, Boaventura de Sousa Santos, Pepetela, Vergílio Ferreira, Lima Barreto e José Luís Peixoto.

A antologia crítica de textos é apresentada na sexta-feira, às 17:30, na sede do Instituto Camões, na rua Rodrigues Sampaio, em Lisboa.

Fonte: Notícias ao Minuto.



NOTÍCIAS RELACIONADAS
15/10/2018
São portuguesas e foram "extraordinárias" no seu tempo. Sabe quem são?
15/10/2018
Uma das Sete Maravilhas do Mundo, Cristo Redentor completa 87 anos
15/10/2018
CAV de Coimbra explora tema do trabalho em nova exposição
15/10/2018
Associação Aldeias Históricas de Portugal promove cimeira internacional de turismo inédita
15/10/2018
'Foi Deus' é a canção portuguesa mais votada para o primeiro Cancioneiro da UE
15/10/2018
Uma 'antologia mínima' para descobrir ou redescobrir Fernando Pessoa