home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

16/02/2018

Dormidas aumentaram 14,52% no Centro de Portugal em 2017

A atividade turística no Centro de Portugal teve o melhor ano de sempre em 2017, registando um crescimento nas dormidas de 14,52% face a 2016, sendo que os dados preliminares não incluem todos os alojamentos turísticos, foi hoje anunciado.

"Estes resultados enchem-nos de satisfação e de esperança num futuro dourado para o turismo no Centro de Portugal. Não é por acaso que esta região bateu todos os recordes de visitantes, dormidas e proveitos no ano em que mais foi atingida pela tragédia dos incêndios (...)", afirma em comunicado enviado à agência Lusa, o presidente do Turismo Centro de Portugal e da Agência Regional de Promoção Turística Centro de Portugal, Pedro Machado.

Os dados preliminares divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE) dão conta de um crescimento consolidado da região em todos os indicadores analisados, dormidas, hóspedes e proveitos da atividade.

No conjunto, entre janeiro e dezembro de 2017, registaram-se 5.654.683 dormidas no Centro de Portugal, o que representa um crescimento de 14,52% em relação ao total de 2016, que tinha sido de 4.937.900 dormidas.

"Estes números, no entanto, pecam por defeito, uma vez que estes dados preliminares não incluem todos os alojamentos turísticos, deixando de fora o turismo de habitação, o turismo em espaço rural e o alojamento local, unidades que assumem um peso muito grande nas opções de quem visita esta região", lê-se na nota.

O Turismo Centro de Portugal explica que em 2016, quando se juntaram as dormidas provenientes de turismo de habitação, turismo em espaço rural e alojamento local aos números do INE, obteve-se um total de cerca de 5,6 milhões.

"Desta forma, pode afirmar-se com segurança que, relativamente aos números de 2017, depois de somados os números dos alojamentos alternativos, o número de dormidas no Centro de Portugal terá ultrapassado largamente os 6 milhões", sustenta.

Segundo os números do INE relativos às dormidas no Centro de Portugal nos cinco anos anteriores, verifica-se que em 2012 foram de 3,76 milhões; 2013, 3,73 milhões; 2014, 4,14 milhões; 2015, 4,50 milhões e 2016, 4,94 milhões.

"Esta é uma região que reúne as condições ideais para ser um destino atrativo, devido à sua grande diversidade de recursos turísticos e possibilidades de visita (...). A região tem vindo a aumentar e a requalificar a sua oferta de alojamento, a aposta na promoção tem sido ganha, e os resultados estão à vista", explica Pedro Machado.

O mercado internacional continua a ser o grande impulsionador do crescimento turístico do Centro de Portugal.

Segundo os dados preliminares do INE, em 2017, as dormidas de estrangeiros aumentaram 29,5%, para 2.756.042 (tinham sido 2.128.259 em 2016).

O crescimento registado no ano passado, refletiu-se também nas receitas, com os proveitos globais a disparar 19,4% e a ultrapassar os 272 milhões de euros, assim como no rendimento médio por quarto disponível, que subiu 20,3% entre 2016 e 2017.

Refira-se ainda que, em 2017, as dormidas no país aumentaram em média 7,35%, ou seja, metade do crescimento registado no Centro de Portugal.

Fonte: Diário de Notícias



NOTÍCIAS RELACIONADAS
20/03/2019
Setor aposta em estabilidade nas vendas para a Páscoa de 2019 [Brasil]
20/03/2019
Imobiliária Era atinge 1% do PIB em vendas em 2018 [Portugal]
20/03/2019
António Costa diz que o sector do vinho espera exportar mil milhões em 2022 [Portugal]
20/03/2019
Vinho português "tem vindo a ganhar reconhecimento cada vez maior" [Portugal]
20/03/2019
Portugal está a fazer "percurso rápido e bom" na economia [Portugal]
20/03/2019
Standard & Poor's sobe 'rating' de Portugal com perspetiva estável [Portugal]