home > notícias

MUNDO

20/02/2018

Angola quer aproveitar experiência do Brasil para promover Cultura - Brasil

O Governo angolano quer aproveitar a experiência cultural do Brasil para dotar os seus quadros de conhecimentos para promover, preservar e valorizar a Cultura de Angola, nos domínios da museologia e música, entre outros.

O interesse foi manifestado pela ministra da Cultura angolana, Carolina Cerqueira, durante um encontro que manteve, hoje, com o embaixador do Brasil em Angola, Paulino Neto, para o reforço da cooperação entre os dois países, na área da Cultura.

Carolina Cerqueira quer a cooperação do Brasil para formar quadros nas áreas da museologia, arquivo, cinemateca, biblioteca, preservação e restauro do património cultural e da música, particularmente na vertente tradicional.

De acordo com o Ministério da Cultura angolano, a governante solicitou ainda uma articulação permanente, incluindo a divulgação e intercâmbio de obras literárias, com vista à divulgação permanente da língua portuguesa e de outras línguas nacionais apreciadas e estudadas em círculos intelectuais brasileiros.

Já o embaixador do Brasil manifestou total disponibilidade para ajudar Angola a alcançar os objetivos traçados no domínio cultural.

Paulino Neto apresentou à ministra o cronograma da agenda cultural da Casa da Cultura Brasil/Angola, em Luanda, para o ano de 2018, que prevê entre outros temas, um festival de cinema dedicado à mulher, o circuito internacional de teatro e uma exposição itinerante do Museu da Língua Portuguesa.

Angola e o Brasil, Estados-membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), assinaram em maio de 2017, em Salvador, um programa executivo conjunto, entre os seus ministérios da Cultura, para formalizar linhas de trabalho, no âmbito do Acordo de Cooperação Científica, Técnica e Cultural, existente desde 1980 entre os dois países.

O programa executivo conjunto tem como foco promover a cooperação cultural nas áreas do livro, leitura, literatura, bibliotecas, artes, música, audiovisual, património, museus e direitos de autor.

As partes pretendem facilitar, por meio de consultas mútuas, o intercâmbio de especialistas, com vista a cooperação e assistência técnica, intercâmbio e investigação cultural, língua portuguesa, diversidade linguística e concertação nas organizações multilaterais.

Fonte: Diário de Notícias



NOTÍCIAS RELACIONADAS
20/03/2019
Vinhos do Alentejo promovidos em Lisboa em abril
20/03/2019
Igreja de Caminha classificada como Monumento de Interesse Público
20/03/2019
Alentejo concorre ao título «destino turístico de excelência»
20/03/2019
Festival na Pampilhosa da Serra desafia público a limpar linhas de água
20/03/2019
Exposição permite viajar até dentro do cérebro
20/03/2019
Livro como objeto e produtor de cultura é exposição no Museu do Chiado