home > notícias

MUNDO

20/03/2018

Google Arts inclui museus brasileiros em seu acervo virtual

Arte sem sair de casa! Aplicativo permite que usuários visitem exposições e vejam grandes obras com zoom que vai nos detalhes

Já imaginou como seria observar cada traço da verdadeira Mona Lisa de perto? Ou já chegou a pensar em como seria analisar a textura da obra A Noite Estrelada, de Van Gogh? Matar essas curiosidades pode parecer um sonho distante para quem não está com uma poupança pronta para viajar ou para quem vive com o tempo apertado e não pode rodar o mundo.

Mas, aí mesmo, do sofá, é possível visitar as principais exposições do planeta e conferir obras de arte nas suas formas originais e, ainda, com um zoom que expõe detalhes – sem perdas de qualidade. O aplicativo Google Arts & Culture (em tradução livre: Google Artes e Cultura), disponível para iOS e Android, permite que qualquer um navegue gratuitamente por essas milhares de histórias, por meio de fotos, vídeos e manuscritos, inclusive através da realidade virtual.

O mouse pode ser o seu curador e você pode criar as próprias coleções. Com a possibilidade de fazer tours completos por lugares icônicos e construções famosas apenas com alguns cliques, o Google Arts já trabalhou em parceria com mais de 1.200 museus, galerias e instituições de 70 países para disponibilizar sete mil obras de arte, incluindo pinturas, esculturas e outras peças aclamadas pela crítica nos séculos XX e XXI. Lá existem até 'museus virtuais' curiosos, como um específico de Harry Potter.


Brasil exposto
Até o dia 7 de março deste ano, o aplicativo ainda não disponibilizava uma versão em português e era traduzido automaticamente, o que gerava erros gramaticais. Agora em processo de atualização, a iniciativa, que não recebia artes brasileiras no grande acervo, passa a incluir obras nacionais, já disponíveis no site, na área atualizada.

No Brasil, o projeto O que é Arte Contemporânea? foi desenvolvido em colaboração com a Fundação Iberê Camargo e mais outras 14 instituições culturais de renome para trazer 50 exposições, com mais de 3.200 obras, que revelam detalhes da arte contemporânea brasileira. Estão disponíveis mostras que ocorreram ao longo do século, além de galerias feitas a partir de iniciativas diversas, como a Bienal.

O Museu de Arte Moderna de São Paulo, o Centro Cultural Banco Brasil Brasília, o Instituto Inhotim, o Museu Nacional de Belas Artes, o Museu Oscar Niemeyer e o Museu da Língua Portuguesa são apenas alguns que fazem parte da listagem, disponibilizando diversas das mostras que já aconteceram em suas ambiências, além de diversas das partes fixas. Artigos explicativos sobre arte contemporânea, arte de rua e outras vertentes, também são inclusos.

Gustavo Possamai, responsável pelo acervo da Fundação Iberê, garante que a qualidade das obras não é perdida. “Óbvio que ver pessoalmente é outro encanto, mas o projeto traz a realidade detalhada ao máximo. Para quem tem óculos de realidade virtual e pode acessar com eles, é basicamente a mesma coisa de estar aqui, vendo 'cara a cara'. E, mesmo para quem não tem, dá para acompanhar detalhe por detalhe sem distorções a olhos nus”.
 
Como utilizar?

Para os usuários que acessarem o projeto através do site, basta ir até o final da página e clicar em Exposições, Galerias, Vídeos ou o que mais o navegante desejar conferir. É possível, ao ir em ‘Onde’, clicar diretamente no nome do local que procura visitar e, depois, ir em ‘Nesta Coleção’, ao selecionar a exposição de escolha. Em ‘Explorar’, a possibilidade de encontrar acessos com realidade virtual fica ainda maior.

Em ‘Por Quê’, é possível conferir os principais temas que inspiram a arte contemporânea e acessar galerias relacionadas. É possível, ainda, conferir um resumo sobre a história e importância de cada museu, além de conhecer novos artistas na aba ‘Quem’. Na aba ‘Por Perto’, dá, também, para encontrar os museus mais próximos da sua localização atual. A busca pode ser feita, ainda, pelo nome de um artista, o que resultará em um compilado das principais obras.

Para quem navegar pelo aplicativo, as opções brasileiras podem ser encontrada facilmente através da busca: ‘Arte Contemporânea’. No app, as possibilidades de exploração são diversas. Dá até para colocar uma selfie própria e descobrir que obras de arte se assemelham à sua face.

O que mais é possível fazer no aplicativo?
• Visualizações com zoom: veja todos os detalhes dos maiores tesouros do mundo.
• Realidade virtual: use seu visor do Google Cardboard para mergulhar de cabeça na arte e na cultura.
• Navegue por época e cor: explore obras de arte filtrando-as por cor ou período.
• Tours virtuais: entre nos museus mais famosos do mundo e visite pontos de referência icônicos.
• Coleção pessoal: salve suas obras de arte favoritas e compartilhe suas coleções com amigos e alunos.
• Por perto: encontre museus e eventos culturais perto de você.
• Exposições: faça tours guiados selecionados por especialistas.
• Resumo diário: aprenda algo novo sempre que abrir o app.
• Reconhecedor de arte: ao visitar um museu, você pode apontar a câmera do seu dispositivo para obras de arte para saber mais sobre elas, mesmo quando estiver off-line (em museus selecionados).
• Notificações: inscreva-se para receber atualizações sobre os principais destaques de artes e cultura.
• Tradução: use o botão de tradução para ler exposições do mundo todo no seu idioma
.

Fonte: Correio 24horas



NOTÍCIAS RELACIONADAS
15/10/2018
São portuguesas e foram "extraordinárias" no seu tempo. Sabe quem são?
15/10/2018
Uma das Sete Maravilhas do Mundo, Cristo Redentor completa 87 anos
15/10/2018
CAV de Coimbra explora tema do trabalho em nova exposição
15/10/2018
Associação Aldeias Históricas de Portugal promove cimeira internacional de turismo inédita
15/10/2018
'Foi Deus' é a canção portuguesa mais votada para o primeiro Cancioneiro da UE
15/10/2018
Uma 'antologia mínima' para descobrir ou redescobrir Fernando Pessoa