home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

20/04/2018

Moody’s e DBRS podem 'mexer' hoje no rating de Portugal

A Moody’s é a única agência de rating que mantém a dívida de Portugal num nível considerado investimento especulativo, mas esse cenário pode mudar esta sexta-feira. Também a DBRS pode pronunciar-se sobre a notação financeira portuguesa.

Moody’s e DBRS podem 'mexer' hoje no rating de Portugal

© Reuters

A Moody's é a única das quatro principais agências de rating que ainda classifica Portugal em nível de 'lixo', mas isso pode mudar esta sexta-feira, já que a agência de notação financeira tem agendada uma revisão do rating português. Seguirá os passos à Fitch e à S&P, que recentemente subiram o rating português?

A agência canadiana DBRS pode também pronunciar-se sobre o rating de Portugal, mas as atenções estão centradas na Moody's. 

Isto porque a Moody's ainda classifica Portugal em nível especulativo, mas na última revisão, a 1 de setembro, a agência subiu a perspetiva (outlook) da dívida portuguesa, o que pode abrir porta a uma subida do rating.

S&P deu o primeiro passo

Em setembro do ano passado, ninguém adivinhava que a S&P iria subir o rating da dívida pública portuguesa para BBB-, retirando o país do nível especulativo, também conhecido como ‘lixo’. A par desta decisão, a agência atribuiu uma perspetiva ‘estável’, uma vez que considerava que os riscos estavam estabilizados.

Na altura, a agência de rating atribuiu a melhoria à evolução da economia e ao “progresso sólido” na consolidação orçamental. Desde então, já foram conhecidos dados económicos que confirmaram um crescimento de Portugal na ordem dos 2,7% em 2017.

S&P foi a última das agências de rating a classificar a dívida portuguesa em ‘lixo’ após o resgate da troika, mas foi também a primeira a subir Portugal para nível de investimento, sem antes ter melhorado a perspetiva (outlook) associada ao rating, como normalmente acontece antes destes avaliações.

Agências de rating vão alinhar-se?

Caso a Moody's decida retirar Portugal de 'lixo', junta-se à Fitch - que seguiu os passos à S&P - e também subiu o rating da dívida portuguesa no final do ano passado.

Já a canadiana DBRS foi a única a manter Portugal em nível de investimento durante a crise, o que permitiu que o Banco Central Europeu (BCE) comprasse dívida portuguesa no âmbito do programa de compra de ativos (também conhecido como programa de 'quantitative easing').

Isto porque o BCE só compra dívida de países que estejam classificados em nível de investimento por pelo menos uma das quatro principais agências de rating: a DBRS, a S&P, a Fitch e a Moody's.

Fonte: Notícias ao Minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
26/06/2019
Caixa registra lucro líquido de R$ 3,92 bilhões no primeiro trimestre [Brasil]
24/06/2019
Portugal está entre os países com as melhores políticas de apoio à família [Portugal]
24/06/2019
Nova moeda digital do Facebook vai ter 'mão' portuguesa no seu desenvolvimento [Portugal]
24/06/2019
Ibovespa registra recorde ao ultrapassar 102 mil pontos [Brasil]
24/06/2019
Governo vai lançar plano do 'gás mais barato' [Brasil]
24/06/2019
Bolsonaro admite candidatar-se a um segundo mandato [Brasil]