home > notícias

MUNDO

25/07/2018

Fadista portuguesa participa em projeto de conservatório árabe de Israel

A fadista Cláudia Picado vai participar, no primeiro trimestre de 2019, no projeto musical de fusão 'Artist Cooperation -- Portuguese Fado & Arabic Music', liderado por Amer Nakhleh, diretor da Beit Almusica, uma organização musical árabe com sede em Israel.

O projeto 'Artist Cooperation -- Portuguese Fado & ArabicMusic' visa criar uma atmosfera musical de fusão, envolvendo o fado e as sonoridades árabes do Médio Oriente, 'indo além dos limites da língua e das diferenças culturais', segundo comunicado hoje divulgado.

O resultado desta parceria de Cláudia Picado com seis músicos palestinianos, que conta com a participação de José Duarte (guitarra portuguesa), concretiza-se na gravação de um disco, em agosto do próximo ano, a ser 'editado em Israel e distribuído por diversos países'.

"Nascerá uma nova expressão artística no diálogo e mútuo entendimento musical e cultural entre Portugal e a comunidade palestiniana da cidade israelita de Shafa'amr", onde se situa a Beit Almusica, uma organização sem fins lucrativos, "único conservatório de música árabe-palestiniana reconhecido em Israel".

Neste projeto, Cláudia Picado conta gravar um poema de Mário Raínho, um dos poetas de fado mais gravados e distinguidos com vários prémios, entre os quais o Prémio Amália para Melhor Poeta, em 2006.

A Beit Almusica é uma organização não-governamental sem fins lucrativos criada em 1999 por um grupo de jovens artistas e músicos, em Shafa'amr, 113 quilómetros a norte de Telavive.

Segundo o seu site, esta organização visa 'promover os direitos culturais da minoria palestina em Israel, enriquecer a sociedade através do desenvolvimento de ambientes musicais, abrir perspetivas para os artistas, e interagir musicalmente com outras culturas'.

Criar e reforçar estruturas e infraestruturas musicais profissionais, preservar e promover a cultura e o património da música árabe e oriental, desenvolver a cultura musical e aumentar a consciência da comunidade palestina sobre a apreciação musical, e capacitá-los a explorar uma variedade de géneros musicais, são objetivos da organização, assim como facilitar o acesso à educação musical profissional.

Devido a este projeto com os músicos árabes, "Cláudia Picado irá adiar o lançamento do seu novo disco de originais em Portugal, que conta com os poetas e músicos do panorama musical português com que mais se identifica, entre eles, Tozé Brito, Jorge Fernando, Guilherme Banza, Mário Rainho e Tiago Torres da Silva".

Cláudia Picado canta há 18 anos, venceu vários concursos de fado, discograficamente estrou-se em 2004 com o álbum 'Ausência', no qual gravou repertório de Amália Rodrigues. No ano passado, a fadista foi distinguida com a Medalha de Mérito Cultural do concelho do Cadaval, de onde é natural.

Fonte: Notícias ao Minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
14/08/2018
Leiria Global: conheça melhor um dos distritos portugueses e suas potencialidades
13/08/2018
Campo Maior acredita que Festas do Povo vão receber 'selo' da UNESCO em 2019
13/08/2018
Mogadouro leva à cena peça de homenagem a escritor Trindade Coelho
10/08/2018
Homenagem a Cruzeiro Seixas e mais de 600 obras nos 40 anos da Bienal de Cerveira
10/08/2018
Fadista Amália Rodrigues retratada em arte urbana no Brejão
09/08/2018
Gosta de fotografia e está por Lisboa? Este desafio é para si