home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

01/08/2018

Anac: mais de 100 milhões de pessoas viajaram de avião em 1 ano no país [Brasil]

Desse total, 91.947.666 passageiros foram transportados em voos domésticos, e 8.924.824 viajantes nos voos internacionais

O número de passageiros pagantes transportados por companhias aéreas brasileiras em voos domésticos e internacionais entre julho de 2017 e junho de 2018 ultrapassou a marca de 100 milhões. Os dados, divulgados hoje (30) pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mostram que nesse período foram transportados 100,87 milhões de pessoas.

Desse total, 91.947.666 passageiros foram transportados em voos domésticos, e 8.924.824 viajantes nos voos internacionais. O número de passageiros no período considera todos os embarques realizados, ainda que pelo mesmo passageiro dentro de uma mesma viagem, antes de chegar ao destino final (conexões).

“Somente em junho de 2018, os 7.163.396 passageiros embarcados representaram uma variação positiva de 3,4% em relação ao mesmo mês do ano passado (6.922.225)”, informou a Anac.

A agência reguladora informou ainda que no caso de rotas chegando ao ou saindo do Brasil, o número de passageiros registrado foi de 656.358 representando um crescimento de 9,9% em relação a igual período de 2017.

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), a última vez em que o acumulado de 12 meses havia superado a marca de 100 milhões de viajantes transportados foi em março de 2016.

Fonte: Notícias ao Minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
15/10/2018
Lisboa prevê investir 37 milhões de euros em habitação no próximo ano [Portugal]
15/10/2018
Atenção, startups. Câmara de Lisboa vai dar 30 bilhetes para o Web Summit [Portugal]
15/10/2018
Moody’s eleva rating de Portugal e país volta a ser grau de investimento [Portugal]
15/10/2018
Portugal tem a «confiança, reconhecimento e credibilidade» dos mercados internacionais [Portugal]
15/10/2018
Brasil está bem para resistir a choques, diz Goldfajn para FMI [Brasil]
15/10/2018
Comércio varejista cresce 1,3%, diz pesquisa do IBGE [Brasil]