home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

20/08/2018

Frutalmente fatura mais de 4 milhões e prevê subida de 50% na produção [Portugal]

A Frutalmente, organização de produtores, registou em 2017 mais de quatro milhões de euros de faturação e prevê que este ano a produção atinja 4.500 toneladas, mais de 50% do que no período homólogo.

A Frutalmente prevê produzir 4.500 toneladas de fruta em 2018, um aumento de mais de 50% em comparação com o ano anterior. Além do crescimento de 30% da produção de uva de mesa, a produção de fruta de caroços e figos aumentou de 500 toneladas para perto de 1.500 toneladas", disse, em comunicado, a organização.

A marca Dona Uva representa 70% da produção da Frutalmente, prevendo quadruplicar a área de produção de uvas de mesa para 280 hectares até 2022.

Fundada em 2012, a Frutalmente conta com perto de 300 hectares de produção, mais 30% do que em 2017, e tem como acionistas 19 produtores das regiões do Ribatejo, Oeste e Alentejo.

Além da uva de mesa, a organização produz e vende alperces, ameixas, pêssegos, maçãs, romãs, pera rocha, diospiros, figos e bagas goji.

"Acreditamos que há espaço para um aumento da produção nacional e para colocar mais fruta portuguesa no mercado", indicou o diretor executivo da organização, Mário Rodrigues.

Até 2022, a Frutalmente quer investir cerca de quatro milhões de euros em infraestruturas, como armazéns, sistemas de frio e calibradores, bem como no aumento da área de produção.

Fonte: Notícias ao Minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
19/09/2018
Cerca de 120 investidores brasileiros participam em Missão empresarial a Portugal [Brasil-Portugal]
19/09/2018
BNDES lança edital para fundo de R$ 500 milhões em infraestrutura [Brasil]
19/09/2018
Economia cresce 0,57% em julho e tem 2º mês seguido de alta, aponta BC [Brasil]
19/09/2018
Universidades de Lisboa e Porto entre as 100 melhores na empregabilidade [Portugal]
19/09/2018
Jornal de Angola destaca "nova era" nas relações com Portugal [Portugal-Angola]
19/09/2018
AEP lança 5.ª feira em Bragança plataforma de suporte ao investimento no Norte [Portugal]