home > notícias

MUNDO

28/08/2018

Traje à Vianesa «tem todas as condições» para ser património mundial

«O traje vianense está muito, muito bem encaminhado. Tem todas as condições para entrar na lista indicativa, que é o primeiro passo para se poder candidatar a património da UNESCO [Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura]», afirmou o ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes.

A certificação no Registo Nacional de Produções Artesanais Tradicionais do Traje à Vianesa, com origem no século XIX, foi publicada em Diário da República no final de 2016.

O traje assume-se como um símbolo tradicional da região, nas suas várias formas, consoante a ocasião e o estatuto da mulher. Em linho e com várias cores características, onde sobressai o vermelho e o preto, foi utilizado até há cerca de 120 anos pelas raparigas das aldeias em redor da cidade de Viana do Castelo.

Questionado pelos jornalistas, no final do cortejo das festas de Nossa Senhora da Agonia, o governante explicou que a lista indicativa é feita pela Direção-Geral do Património Cultural e, depois, avaliada pelo Conselho Nacional de Cultura.

«Depois de ser inscrita na lista indicativa, entra para a Comissão Nacional da UNESCO, que está no âmbito do Ministério dos Negócios Estrangeiros e começa o seu caminho no sentido de consolidar uma candidatura», referiu, avisando, por já ter sido embaixador na UNESCO, que «mesmo que se tenha um bem muito valioso é preciso trabalhar muito bem a candidatura».

«O traje de Viana está nas nossas prioridades, mas há análises a serem feitas por peritos independentes e especialistas. Penso que é um projeto que está no bom caminho», destacou.

Luís Filipe Castro Mendes referiu que neste processo o «Ministério da Cultura faz apenas a integração do bem na lista indicativa, reconhecendo que o bem tem interesse e merece ser classificado».

«A partir daí é um processo internacional. É apresentar a candidatura junto da UNESCO e ganhá-la», reforçou.

Dedicado aos 140 anos da Ponte Eiffel e aos 50 anos da procissão ao mar, que se cumpre hoje (20 de agosto), o cortejo contou com a participação de mais de 3.000 pessoas.

A Vianafestas, entidade que organiza a Romaria d'Agonia, esgotou os mais de 5.000 bilhetes que tinha disponíveis para o desfile.

O presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, estimou em cerca de um milhão o número de visitantes que a cidade irá acolher nos quatro dias de festa.

A romaria termina hoje, feriado municipal dedicado a Nossa Senhora d'Agonia, padroeira dos pescadores.

Fonte: Revista de Portugal e das Comunidades



NOTÍCIAS RELACIONADAS
13/11/2018
Homenagem a Sophia de Mello Breyner abre Festival Internacional
13/11/2018
Conferência Why Portugal analisa 'estado da arte' da exportação de música portuguesa
13/11/2018
Biografia de José Saramago é apresentada em Lisboa
13/11/2018
Empresas portuguesas com participação recorde na feira Equiphotel em Paris
13/11/2018
Museu do Fado celebra 20 anos com exposição sobre Maria Teresa de Noronha
13/11/2018
Japão recebe evento dedicado a Portugal