home > notícias

MUNDO

04/09/2018

Cinemateca quer que alguns filmes portugueses sejam tesouros nacionais

Alguns filmes do cinema português deverão ser classificados como tesouros nacionais, segundo um processo que, "apesar de parecer óbvio, é altamente pioneiro", revelou à agência Lusa o diretor da Cinemateca Portuguesa, José Manuel Costa.

Esta é uma das iniciativas que a Cinemateca Portuguesa quer concretizar nos próximos meses para assinalar, no âmbito de um programa alargado, os 70 anos da sua fundação, desde que foi publicada em lei em 1948.

Em entrevista à agência Lusa, a propósito da celebração da efeméride, José Manuel Costa afirmou que a Cinemateca Portuguesa vai iniciar "progressivamente uma série de processos de classificação" para que as matrizes de determinados filmes ganhem o estatuto de "obra cultural de interesse nacional", que sejam tesouro nacional.

"A classificação tem um impacto simbólico e um impacto prático e implica uma responsabilidade acrescida do Estado", disse o diretor, sublinhando que está em causa um "testemunho absolutamente precioso e inestimável sobre a história e a vivência do século XX".

O processo de classificação começará com um conjunto de filmes da época do cinema mudo e do período de obras fixadas em nitrato, até 1950. Atualmente, no que toca a património ligado ao cinema português, apenas está classificado, como um todo, o património da Tobis.

A celebração dos 70 anos da fundação da Cinemateca Portuguesa decorrerá entre setembro deste ano e junho de 2019. O sinal de partida é dado no próximo dia 29, com o lançamento do primeiro volume "de uma obra imensa, gigantesca", de textos de João Bénard da Costa, cinéfilo e antigo diretor do organismo.

A 16 de novembro, haverá "uma jornada especial de homenagem ao cinema português", com uma sessão ininterrupta de quatro horas em que serão exibidas "bobinas, fragmentos de filmes de todos os géneros e de todas as épocas do cinema português.

Ainda em novembro decorrerá um colóquio internacional, e um ciclo intitulado "70 anos 70 filmes", com obras que fizeram parte da história da Cinemateca e outras que fazem um retrato do que é hoje o cinema contemporâneo.

À boleia dos 70 anos, a Cinemateca irá mostrar, em dezembro e em janeiro, toda a obra cinematográfica de Manoel de Oliveira, quando passam 110 anos do aniversário do nascimento do realizador.

Estão previstas várias edições literárias, como um livro de conversas com Luís Miguel Cintra, outro sobre o percurso histórico da Cinemateca e um inédito sobre a história do cinema, direcionado para crianças, em articulação com a Cinemateca Júnior.

Segundo José Manuel Costa, ligado à Cinemateca desde 1975 e diretor desde 2014, será ainda impulsionado um projeto sobre a memória oral, para deixar registado, em imagem e em som, intervenções de pessoas de "toda a atividade do cinema em Portugal".

Na página da Cinemateca, onde já é possível visionar alguns filmes dos arquivos do Museu do Cinema, serão disponibilizadas digitalizações de jornais de atualidades (1953-1970), os filmes informativos que eram exibidos antes das sessões de cinema durante o Estado Novo.

Com o mandato de direção, de cinco anos, a terminar em 2019, José Manuel Costa quer ainda celebrar os 70 anos da Cinemateca com uma nova iniciativa de "Dia aberto" a visitas guiadas, e com a constituição, há muito anunciada, da Associação dos Amigos da Cinemateca.

Esta será a primeira vez que a Cinemateca celebra a data da sua fundação, enquanto entidade pensada para criar uma coleção fílmica e documental e preservá-la. Até aqui, era assinalada habitualmente a abertura oficial da Cinemateca ao público, com sessões de cinema iniciadas a 29 de setembro de 1958.

"Significa que todas as atividades internas da Cinemateca já existiam há uma década. Uma cinemateca não são só sessões de cinema", disse José Manuel Costa.

Fonte: Notícias ao Minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
19/09/2018
Animação portuguesa candidata a nomeação aos prémios César
19/09/2018
RTP já tem Festival da Canção 2019 em andamento
19/09/2018
Semana das Culturas Estrangeiras em Paris com programação portuguesa
19/09/2018
Ronaldo: "Christianinho diz que vai ser melhor do que eu mas penso que será difícil"
19/09/2018
Mostra em São Paulo traz obras de Rafael nunca expostas no Brasil
19/09/2018
Turismo de Portugal volta a estar presente na mais importante feira de turismo São Paulo