home > notícias

ASSOCIADOS

01/10/2018

Entenda definitivamente como funciona o seguro de vida [Claritas]

Atualmente, os brasileiros têm adquirido o hábito de se preocupar com o futuro e economizar, antecipando emergências e pensando na aposentadoria. Embora seja uma atitude inteligente, complementá-la com um seguro de vida a torna mais eficiente.

Por meio de um seguro é possível manter a proteção de seus entes queridos em momentos difíceis, tornando-os menos traumáticos por evitar possíveis complicações financeiras.

Gostaria de se informar melhor a respeito e descobrir como garantir a segurança de sua família? Continue a leitura e entenda, de forma definitiva, como funciona o seguro de vida!

O QUE É SEGURO DE VIDA?

Entende-se por seguro de vida o serviço que protege o segurado, ou seus dependentes, contra perdas e outras situações previamente determinadas em seu contrato.

Uma vez que eventos súbitos tendem a comprometer a estabilidade financeira de famílias, o seguro de vida entrega uma indenização aos beneficiários indicados pelo segurado, com o objetivo de garantir a eles condições econômicas para se restabelecer. O seguro também cobre doenças e invalidez, de modo que, em caso de necessidade, o próprio segurado pode fazer uso do prêmio.

Para atender a todos os perfis de clientes, seguros costumam oferecer planos diferentes, com coberturas distintas para cada necessidade. O custo mensal do seguro de vida tende a variar de acordo com a escolha do e coberturas, idade e saúde da pessoa a ser segurada.

COMO FUNCIONA O SEGURO DE VIDA?

Depois de considerar seu perfil, entender a quais riscos está exposto e qual a quantia necessária para manter a segurança de seus dependentes, a pessoa interessada em um seguro de vida deve contratar o plano que atenda a suas necessidades. Depois disso, basta pagar um valor mensal.

É importante que o segurado ofereça informações verdadeiras à seguradora, pois, caso fique comprovado que os dados declarados não condizem com a verdade, ele ou seus dependentes podem vir a perder o direito de receber a indenização, paga pelo seguro.

Cabe à seguradora receber as mensalidades do segurado e alocar parte dos recursos em uma reserva, constituída com a finalidade de garantir o pagamento dos prêmios.

Quando o segurado, ou seus dependentes, precisarem receber o seguro, basta entrar em contato com a seguradora. O processo é rápido e não passa pelo inventário, de modo que a família do segurado recebe rapidamente os recursos necessários para se manter, até que os demais bens sejam devidamente liberados.

É importante ressaltar que o Imposto de Renda não incide sobre o prêmio do seguro de vida, e que toda a operação é regulamentada e fiscalizada pelo Sistema Nacional de Seguros Privados (CNSeg).

PARA QUE ELE SERVE?

O objetivo básico de um seguro de vida é entregar aos seus beneficiários o pagamento de uma indenização e garantir sua segurança financeira em momentos de dificuldade. Mas a forma como esse objetivo é alcançado, e até mesmo o objetivo em si, podem mudar de acordo com a necessidade do cliente.

Vejamos algumas utilidades práticas do seguro de vida:

GARANTIA PARA EMPRÉSTIMOS

Quando um empreendedor solicita ao banco crédito para investir em seu negócio, ou quando uma pessoa física dá entrada em um financiamento de imóvel, é possível que a instituição financeira exija um seguro para liberar a operação.

Nesse caso, a finalidade do seguro de vida é garantir ao credor o pagamento da dívida, caso alguma fatalidade aconteça. Portanto, o prêmio desse seguro, em específico, é destinado à instituição credora.

PROTEÇÃO DE PATRIMÔNIO

Proteger o patrimônio da família e impedir que ela precise abrir mão de bens, ou se endividar frente a um imprevisto como morte ou invalidez, é considerado o objetivo padrão de um seguro de vida.

Essa precaução se faz necessária para que o segurado garanta a própria segurança, ou de seus beneficiários, frente a um evento que comprometa de forma grave sua fonte de renda.

PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO

Uma vez que todo o processo que envolve a elaboração de inventário é burocrático e pode levar tempo, o seguro de vida é um meio eficaz para que o segurado garanta uma quantia em dinheiro a seus beneficiários capaz de suprir suas necessidade ou permitir que tenham acesso aos bens herdados, sobre os quais podem incorrer altos impostos e taxas. Desse modo, eles não passarão por necessidades, ou precisarão se endividar, até a distribuição de bens ser concluída.

Levando em conta que o beneficiário de seguro de vida não precisa ser necessariamente um herdeiro direito, por meio dele, o segurado também tem a prerrogativa de destinar recursos para outras pessoas, que não sejam familiares diretos.

QUAIS SÃO AS MODALIDADES DE SEGURO DISPONÍVEIS?

Assim como existem diferentes objetivos para um seguro de vida, existem diferentes modalidades do serviço. Cada uma delas é adequada a um perfil específico de cliente.

SEGURO DE VIDA TRADICIONAL

O seguro de vida tradicional é a forma mais difundida do seguro. Por meio dela, o segurado paga um determinado valor mensal e, em caso de necessidade, ele ou seus dependentes têm acesso à indenização.

É importante levar em consideração que, caso deixe de pagar a mensalidade, o segurado deixa de ter direito a receber o prêmio. Não é possível reaver o montante pago em caso de desistência.

A mensalidade pode ser reajustada de acordo com a idade do segurado, mas, em média, tende permanecer mais em conta do que a cobrada por um seguro resgatável.

SEGURO DE VIDA RESGATÁVEL

A modalidade de seguro resgatável permite que o segurado receba parte do prêmio depois de um determinado período de tempo, que costuma durar, em média, 2 anos. Desse modo, caso o segurado precise do dinheiro ou decida desistir do seguro, ele pode reaver o montante aplicado.

No momento em que contrata o seguro de vida resgatável, o segurado está comprando uma apólice e, depois que pagá-la, fica segurado pelo resto da vida, ou até sacar o valor referente ao prêmio.

Essas vantagens tornam a modalidade de seguro resgatável mais cara do que a tradicional, mas, além de possibilitar que o segurado acesse o dinheiro caso desista do seguro, não sofre alterações nos valores conforme o segurado envelhece.

SEGURO DE VIDA TEMPORÁRIO

Como o nome sugere, o seguro temporário fornece proteção por um curto período de tempo. Assim como a modalidade tradicional, ele não devolve os recursos aportados em caso de desistência. Além disso, a indenização que ele paga é menor do que a entregue pelas categorias resgatável e tradicional. Seu custo mensal pode variar, ou não, de acordo com a idade do segurado.

SEGURO DE VIDA PARA ACIDENTES PESSOAIS

Voltado para pessoas que precisam se preocupar mais com o risco de invalidez do que o de morte, esse seguro oferece cobertura sobre invalidez temporária e morte acidental. Assim como o seguro temporário, sua indenização é menor do que a oferecida pelas modalidades resgatável e tradicional.

Dedicar parte dos recursos auferidos com o trabalho a investimentos rentáveis é fundamental para alcançar uma aposentadoria tranquila e construir um patrimônio sólido. Entretanto, é necessário garantir a estabilidade desse patrimônio e providenciar meios para que, frente a uma situação grave e inesperada, a família tenha recursos para se manter até ter acesso a ele. Aderir a um seguro é um meio eficaz de alcançar esses objetivos.

 

Fonte: Assessoria



NOTÍCIAS RELACIONADAS
18/12/2018
Segurança com energia: EDP orienta sobre cuidados durante obras e reformas [EDP]
18/12/2018
SIC no voo inaugural do novo avião da TAP A330 Neo [TAP]
18/12/2018
Investir e viver em Portugal [Global Trust]
18/12/2018
“Cidades e comunidades sustentáveis 2030" em debate no Belas Clube de Campo [Belas Clube de Campo]
18/12/2018
Quais são os 3 melhores investimentos para 2019? Descubra! [Claritas]
18/12/2018
Embraer e Boeing aprovam acordo que cria nova empresa de aviação comercial [Embraer]