home > notícias

ASSOCIADOS

23/10/2018

O que avaliar ao escolher uma gestora de investimento [Claritas]

Quem investe busca sempre alcançar equilíbrio entre uma boa rentabilidade e a proteção do seu patrimônio, equalizando junto a isso o risco a qual cada um está disposto a correr. Por essa razão, muitas pessoas procuram os serviços de uma gestora de investimentos.

Se esse é o seu caso, veja neste texto dicas do que levar em conta e como escolher gestora de investimentos. Confira!

QUAL É O PAPEL DE UMA GESTORA DE INVESTIMENTOS?

Antes das dicas de como fazer uma boa escolha, vamos compreender como funciona e como atua uma gestora de investimento. No mercado é comum que os serviços prestados por empresas do ramo sejam chamadas de asset management, ou simplesmente gestoras de ativos.

De forma geral, o papel de uma gestora de investimento vai além de mera recomendação de quais ativos devem compor uma carteira de investimentos. O trabalho é contínuo e se propõe a monitorar a rentabilidade dos investimentos, verificando a possibilidade de realocações e reinvestimentos, sempre buscando alcançar o melhor retorno possível. Com isso, procura-se alinhar o capital investido com as oportunidades do mercado, otimizando o potencial de ganho do valor aplicado.

Desse modo, o serviço oferecido pelas gestoras se diferencia do que os bancos e corretoras costumam ofertar aos seus clientes. A principal diferença está na diversidade de tipos de investimento e no modelo de negócio, deixando-as mais alinhadas aos interesses e necessidades dos clientes.

O QUE LEVAR EM CONSIDERAÇÃO NA HORA DE ESCOLHER UMA GESTORA DE INVESTIMENTOS?

Logo de cara, uma escolha consciente de uma gestora de investimento passa por uma análise cuidadosa, que envolve a decisão de quais os tipos de investimentos desejados e qual o objetivo do investidor.

Para se mostrar competente, um gestor deve unir três características básicas: ser um especialista na gestão de ativos, ser capaz de antecipar as tendências do mercado e capturar o potencial de ganho com as oportunidade do mercado, uma vez que o mercado apresenta comportamento cíclico e há aspectos que estão fora do alcance de qualquer profissional.

Por isso, uma boa referência de avaliação são os chamados benchmarks financeiros. Apesar do nome, não é complicado entender o que é um benchmark: são índices utilizados como referência para a avaliação de desempenho de determinado investimento. 

Pode acontecer que em determinados períodos – em que as aplicações apresentem um rendimento ruim – não signifique necessariamente um desempenho ruim do gestor, pois é preciso ser feita a comparação com o benchmark. Portanto, é importante estar atento a esse número e ter a perspectiva correta.

Com tudo isso em mente, confira a seguir algumas dicas práticas do que pode ser observado antes de escolher uma gestora de investimentos.

CONSISTÊNCIA DA EQUIPE GESTORA

Uma boa gestora atua como um time de futebol azeitado. Da mesma forma que uma equipe que troca de técnico e jogadores a todo momento enfrenta problemas, uma gestora com alta rotatividade nos seus postos, ou recém-formada, tende a apresentar resultados menos expressivos do que aquelas juntas há mais tempo e com mais tradição no mercado. Essa experiência acumulada permite um alinhamento mais afinado de expetativa, conceitos e métodos.

Entre os gestores, é preciso saber se eles possuem alguma certificação, como a CFA (sigla em inglês para Chartered Financial Analyst, que em português é algo como Analista Financeiro Cerificado). Além disso, é importante que a equipe conte com um economista especialista em ativos. Tais informações normalmente estão disponíveis no site da gestora.

COMPOSIÇÃO SOCIETÁRIA E CONTROLADORES DA GESTORA

Uma boa gestora deve ser transparente quanto a quem são seus sócios e controladores. Se existem sócios envolvidos com esquemas de corrupção, com o “nome sujo” ou mesmo que não possuam patrimônio próprio, é preciso ligar o sinal de alerta, porque o investidor pode ser tratado como uma cobaia e ser exposto a riscos desnecessários.

HISTÓRICO DA GESTORA

A partir do momento em que o investidor escolhe uma gestora, ela se torna responsável pela administração do seu dinheiro. Por isso, busque conhecer o histórico e como os profissionais daquela empresa lidaram com momentos de dificuldade. É um excelente indício caso tenham se saído bem de situações complicadas. Caso tenha havido erros, eles devem ser reconhecidos e fazer parte do aprendizado.

Pode ser complicado analisar esse histórico, mas, para quem está começando, a é focar em dados quantitativos, principalmente de longo prazo (entre 36 e 60 meses). Os gestores que não atingiram um bom desempenho nesse recorte devem ser excluídos. 

É sempre importante contar com o auxílio de um assessor de investimentos. Esses profissionais são cada vez mais acessíveis e essenciais para quem coloca dinheiro no mercado, o que exige muito estudo e conhecimento.

VALOR DOS ATIVOS SOB GESTÃO

Quanto mais alto o montante de ativos investidos, maior a chance da gestora ser uma empresa qualificada. Logo, observe também esses valores de forma cuidadosa, considerando também a rentabilidade entregue ao investidor.

ESPECIALIDADES DA GESTORA

Não é raro encontrar gestoras focadas em ativos específicos. Mas, mesmo aquelas com uma atuação mais diversificada, devem focar na competência e qualidade das opções oferecidas.  Nesse cenário, o investidor deve analisar o seu perfil e seus objetivos, comparando individualmente cada uma das gestoras.

ORGANIZAÇÕES DA QUAL A GESTORA FAZ PARTE

É fundamental que a gestora tenha um código de conduta bem definido e de pleno conhecimento dos profissionais que trabalham nela, além de seguir à risca os regulamentos que dispõem sobre o mercado financeiro. Por fim, confira se ela faz parte da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) e de outras instituições do mercado financeiro.

São várias as vantagens de investir recursos através de gestoras independentes ou em fundos de investimentos disponíveis em corretoras ou bancos, mas que sejam geridos por gestoras independentes. Essas empresas oferecem experiência de profissionais capacitados, segurança e transparência. Por outro lado, a responsabilidade colocada na empresa demanda cuidado na hora de escolher gestora de investimentos capacitada. Leve todas as dicas desse texto em consideração!

Quer conhecer uma gestora de investimentos de qualidade e confiança? Confira como a Claritas Investimentos pode ajudar você! Entre em contato agora mesmo. Estamos aguardando você!

Fonte: Assessoria

15/10/2018

 

 

 

 



NOTÍCIAS RELACIONADAS
13/11/2018
Solução de Consulta Interna nº 13 – Cosit - Decisões judiciais transitadas em julgado (Brasil) [FCB Law]
13/11/2018
Contratação Pessoas com Deficiência x e-Social [Master Consultores]
13/11/2018
Análise reversa na avaliação de riscos [Franco Advogados]
13/11/2018
Na Candy Delicatessen o seu azeite gourmet predileto já está à sua espera: o Dona Berta é claro! [Chico Carreiro]
13/11/2018
Programa ROTA 2030 é aprovado e governo federal anuncia regulamentação [Scharlack Advogados]
13/11/2018
Lar Casa Bela & Grupo Alsa Fort juntos para transformar a vida de crianças e adolescentes [Alsa Fort]