home > notícias

MUNDO

29/10/2018

Investigadores portugueses e brasileiros vencem Prémio Científico Mário Quartin Graça

Fernando M. Martins, Manaíra Aires Athayde e Gil Correia são os grandes vencedores da 9ª edição do Prémio Científico Mário Quartin Graça.

A 9ª edição do Prémio Científico Mário Quartin Graça, recebeu 119 candidaturas, o número mais elevado registado até à data. Esta iniciativa pretende estimular a formação de estudantes latino-americanos e portugueses em temas de interesse mútuo para Portugal e a América Latina. Todas as teses de doutoramento têm como denominador o interesse comum para as Universidades de Portugal ou da América Latina ou resultaram, na sua elaboração, da colaboração entre Universidades dos dois lados do Atlântico.

Fernando M. Martins, de nacionalidade portuguesa, venceu na categoria de Ciências Económicas e Empresariais, com a tese “Price and wages rigidities: macroeconomic evidence”, concluída no Instituto Superior de Economia e Gestão, uma dissertação sobre a dimensão da rigidez de preços e salários em Portugal, bem como das suas principais fontes.

Gil Correia, também português, foi o vencedor da categoria de Tecnologias e Ciências Naturais, com o trabalho “Integração de caracterização de reservatórios com ajuste de histórico baseado em poços piloto: aplicação ao campo Norne”, realizado na Universidade Estadual de Campinas, onde o investigador aplicou um fluxograma de modelagem geológica aplicada a um reservatório real.

Manaíra Aires Athayde, de nacionalidade brasileira, destacou-se na categoria de Ciências Sociais e Humanas com a tese “Ruy Belo e o Modernismo Brasileiro. Poesia, Espólio”, realizada na Universidade de Coimbra, onde investiga como determinadas características, práticas e temáticas da literatura brasileira se encontram na construção do discurso poético e crítico de Ruy Belo.

Numa parceria entre o Banco Santander em Portugal e a Casa da América Latina, ao vencerem as respetivas categorias, cada investigador recebe um prémio de 5.000 euros.

O júri atribuiu ainda uma menção honrosa a Virgílio Coelho, de nacionalidade brasileira, com a tese “O Fio de Ariadne: Desilusão e Sensibilidade Política em Os Maias, de Eça de Queiroz”, concluída na Universidade Federal de Minas Gerais.

Os trabalhos foram avaliados por um júri constituído por Arlindo Oliveira, Presidente do Instituto Superior Técnico; João Proença, Professor da Faculdade de Economia da Universidade do Porto; Pedro Cardim, Professor da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa, Luís Bento dos Santos, Administrador do Banco Santander Totta; e Manuela Júdice, Secretária-Geral da Casa da América Latina.

Fonte: Revista de Portugal e das Comunidades



NOTÍCIAS RELACIONADAS
13/11/2018
Homenagem a Sophia de Mello Breyner abre Festival Internacional
13/11/2018
Conferência Why Portugal analisa 'estado da arte' da exportação de música portuguesa
13/11/2018
Biografia de José Saramago é apresentada em Lisboa
13/11/2018
Empresas portuguesas com participação recorde na feira Equiphotel em Paris
13/11/2018
Museu do Fado celebra 20 anos com exposição sobre Maria Teresa de Noronha
13/11/2018
Japão recebe evento dedicado a Portugal