home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

27/11/2018

Plataforma portuguesa 'abriu' digitalmente lojas de têxteis do Norte [Portugal]

Uma plataforma de três empreendedores portugueses está a garantir, há alguns meses, compras eletrónicas em 'tradicionais' lojas de fábricas de têxteis do Norte, com planos para alcançar 10 parceiros e uma faturação de 350 mil euros em 2019.

Tudo começou quando Reinaldo Moreira, um dos sócios fundadores e dedicado a 100% à jovem empresa, recebeu um par de meias comprado numa loja de fábrica de confeção.

Reinaldo juntou-se então a Francisco Pimentel e a Miguel Pinto para fazerem nascer a plataforma Springkode e mostrar "ser possível comprar roupa de forma alternativa indo diretamente à fonte, ao local de confeção", através da renovação do conceito loja de fábrica.

Com financiamento próprio de 100 mil euros aplicado em "angariação de parceiros, desenvolvimento de plataforma e os primeiros passos na comunicação", o projeto nasceu no passado dia 13 de abril e conta com três fábricas parceiras: a Lagofra (Seroa, Porto), a TIVA (Abade de Neiva, Barcelos) e a TMR (Azurém, Guimarães).

"A referência é de 10 fábricas a juntarem-se ao projeto em 2019, mas queremos suplantar. Nós trabalhamos mais do que isso", disse Reinaldo Moreira à agência Lusa, sublinhando o objetivo de "explorar ao máximo a realidade da confeção portuguesa, que é riquíssima e tem dezenas, centenas de fábricas que trabalham para as melhores marcas de moda mundiais".

Este será o foco durante um ano, indicou o empreendedor, que revelou também os planos para idas a Espanha e a Itália para os "primeiros contactos com as associações do setor e com algumas fábricas para avaliar o interesse de se juntarem ao projeto".

Internacionalização tem estado, assim, no vocabulário da Springkode, que quer levar a "outras geografias" o seu "modelo de negócio enquanto proposta de valor ao cliente final".

"Este projeto nasce europeu, eu gostaria que ele nascesse global, mas questões alfandegárias impedem de o fazer nesta fase, estamos a focar-nos no nosso mercado natural, que entendemos ser o europeu", explicou à Lusa.

Planeado está também o investimento de cerca de 1,1 milhões de euros até ao 'breakeven' (ponto de equilíbrio) na 'startup', com atualmente cinco elementos.

Com um 'fee' sobre as vendas, a plataforma oferece a "marca de fábrica" e a "identidade do produto", assegurando a "proveniência e a autenticidade" da oferta e da qualidade.

Assim, o cliente alvo é o que procura a "melhor relação qualidade-preço".

Na plataforma de lojas de 'sempre' de fábrica, mas agora em modelo digital, há peças desenvolvidas e produzidas integralmente pelas fábricas e que não podem ser compradas em mais lado algum, garantiu um dos fundadores da Springkode.

À questão inevitável sobre se houve inspiração da já 'gigante' Farfetech, a plataforma de vendas 'online' de marcas de luxo criada pelo português José Neves, Reinaldo Moreira respondeu que é "um modelo para qualquer 'startup' portuguesa, que esteja a começar e queira internacionalizar o seu negócio".

"Inspira-nos todos os dias. Acompanhamos muito de perto a evolução da empresa e o nosso modelo de negócio é, em tudo, semelhante ao deles. No entanto, queremos posicionar-nos na cadeia de abastecimento e crescer num segmento de mercado diferente", rematou.

Já à outra pergunta incontornável sobre se haverá saldos, o empreendedor não descartou a hipótese de promoções, mas lembrou que a plataforma trabalha com pequenas quantidades de produto.

"Estamos a disponibilizar o produto já a um preço muito reduzido face ao que seria normal encontrar nas lojas", uma vez que não são adicionadas margens que acautelem necessidade de escoar produto de fim de coleção, concluiu.

Fonte: Notícias ao Minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
18/12/2018
Portugal terá 45% da energia consumida com origem em renováveis até 2030 [Portugal]
18/12/2018
Turismo será fundamental para evolução da atividade e do emprego [Portugal]
18/12/2018
Terminal de cruzeiros de Leixões bate novo recorde de turistas [Portugal]
18/12/2018
Balança tem superávit de US$ 918,351 milhões na segunda semana de dezembro [Brasil]
18/12/2018
Douro ajudou a abrir o mapa turístico de Portugal e duplicou dormidas [Portugal]
18/12/2018
China é principal destino das exportações brasileiras em novembro [Brasil e China]