home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

06/03/2019

PIB mostra que transportes por app ajudam na retomada dos investimentos [Brasil]

SÃO PAULO, SP, E RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Os investimentos na economia (a chamada formação bruta de capital fixo) reagiram em 2018 e cresceram 4,1% -o primeiro desempenho positivo após quatro anos consecutivos de queda, que, no total, chegou a 30%.

O setor é formado basicamente pelo segmento da construção e por máquinas e equipamentos.

Segundo Rebeca Palis, coordenadora de contas nacionais do IBGE, a importação e produção interna de bens de capital compensaram a queda verificada no setor de construção, a única atividade a registrar variação negativa em 2018 (-2,5%).

Outro fator importante a contribuir positivamente para a alta dos investimentos em 2018 foi o crescimento do transporte feito por aplicativo, já que a compra de um automóvel para esse tipo de serviço, assim como a compra de automóveis feita por locadoras, é considerada investimento (e não consumo). A modalidade tem ajudado ainda a engordar os lucros das locadoras de veículos.

Para o IBGE, a compra de veículos para trabalho conta como investimento, e não como consumo das famílias.

Embora o efeito da paralisação dos caminhoneiros sobre o PIB como um todo tenha sido negativo, o impacto sobre os investimentos foi positivo, disse Palis. Isso porque várias empresas aumentaram a frota própria de caminhões e ônibus, o que também é considerado investimento.

Palis destacou ainda que os investimentos também foram ajudados pelo efeito contábil da mudança da contabilização das plataformas de petróleo, mas o investimento, disse ela, seria positivo de qualquer jeito.

Já a queda na construção foi resultado de um conjunto de fatores como a redução de 2,4% da ocupação na construção, queda real do crédito destinado ao setor, além do recuo dos gastos do governo com infraestrutura.

A despeito do bom desempenho no ano, os investimentos encerraram 2018 em marcha lenta, influenciados em especial pelos efeitos das incertezas eleitorais sobre o ânimo de investir dos empresários.

No último trimestre do ano, os investimentos caíram 2,5% em relação ao trimestre anterior. Sobre igual trimestre de 2017, a alta foi de 3%.

Segundo o IBGE, a construção vem perdendo peso no PIB e hoje representa 47% da formação bruta de capital fixo; máquinas e equipamentos ficam com 38%. O restante fica com outros.

Puxada por máquinas e equipamentos, em especial pelo setor automotivo, a taxa de investimento alcançou 15,8% em 2018, ante 15% em 2017 -a melhor desde 2015.

Fonte: Notícias ao Minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
21/08/2019
Encontro empresarial sobre carris vai ligar Portugal à China [Portugal]
21/08/2019
Portugal com taxa de inflação mais baixa da União Europeia em Julho [Portugal]
20/08/2019
Turistas no Algarve cresceram 9,3% no primeiro semestre de 2019 [Portugal]
20/08/2019
Aeroporto de Lisboa terá nova área de chegadas e mais postos de controlo [Portugal]
20/08/2019
Economia cresce 1,8% [Portugal]
20/08/2019
Economia cresce 0,2% no segundo trimestre, informa Monitor do PIB-FGV [Brasil]