home > notícias

MUNDO

03/04/2019

10 exposições para visitar na Semana SP-Arte

Nas semanas que antecedem a SP-Arte, a cidade de São Paulo se prepara para o evento com uma intensa programação de aberturas de exposições individuais e coletivas. Na lista abaixo, reunimos dez dicas imperdíveis para quem quiser visitar museus e galerias durante o maior festival de arte da América Latina. Confira!

(1) Antoni Tàpies, Bergamin & Gomide

Primeira exposição do artista catalão Antoni Tàpies no Brasil em mais de quinze anos, a mostra promovida pela galeria Bergamin & Gomide traz obras criadas a partir da década de 1970. Tàpies é um dos mais importantes artistas europeus do pós-guerra e um dos primeiros a utilizar, ainda na década de 1950, materiais diversos como farrapos, cordas e mármore para compor suas pinturas. A mostra reúne treze trabalhos, o último deles produzido na década de 2000. De 12 de março a 27 de abril.

(2) Chico Tabibuia, Galeria Estação

A Galeria Estação apresenta um conjunto de esculturas de Chico Tabibuia, artista fluminense falecido em 2007. Em suas obras – marcadas pela madeira maciça –, Tabibuia representa uma diversidade de seres míticos como Sacis, Exus e Pretas Velhas. Nessas e em outras representações, chama atenção os padrões fálicos e antropomórficos presentes nas peças. Thais Rivitti assina a curadoria. De 20 de março a 18 de maio.

(3) Teresa Nazar, Galeria Berenice Arvani

Dezesseis obras de Teresa Nazar, artista argentina radicada no Brasil, integram “Teresa Nazar – Liberdade e ousadia nos anos 60”. Os trabalhos, caracterizados pela forte materialidade, incorporam elementos não-convencionais como placas de metal, parafusos e plásticos. Nos quadros, nota-se a influência de uma estética pop que no Brasil ficou conhecida como Nova Figuração. A curadoria é do historiador João J. Spinelli. De 26 de março a 27 de abril.

(4) Robert Barry, Galeria Jaqueline Martins

Pinturas, trabalhos em papel, textos e filmes Super 8 integram a primeira exposição individual de Robert Barry em uma galeria brasileira. Barry é um dos mais reconhecidos artistas conceituais norte-americanos e, desde 1969, utiliza-se principalmente do texto, em seus mais diferentes meios e suportes, para desenvolver trabalhos que ambicionam a comunicação direta com o expectador. De 30 de março a 18 de maio.

(5) Daniel Mullen, Emmathomas Galeria

A primeira exposição do artista escocês Daniel Mullen na Galeria Emmathomas convida o expectador a embarcar numa experiência sensorial. Para isso, Mullen apresenta nove pinturas inéditas da série “Synesthisia”, concebida em parceria com a cineasta Lucy Cordes Engelman. Nos quadros, o artista cria ilusões óticas ao desenhar linhas em primeiro plano e utilizar de cores para projetar espaços e direções. De 30 de março a 4 de maio.

(6) “Ernesto Neto: Sopro”, Pinacoteca de São Paulo

Ernesto Neto ocupa as sete salas e o octógono do edifício principal da Pinacoteca com sua nova mostra, intitulada “Sopro”. Além dos sessenta trabalhos em exibição, alguns deles participativos, o artista traz para o centro do museu um conjunto de oito ações/rituais desenvolvidas a partir de sua convivência com comunidades indígenas brasileiras. De 30 de março a 15 de julho.

(7) Julio Plaza e Nelson Leirner, Galeria Marília Razuk

“Correlações entre variáveis aleatórias” exibe quinze obras dos artistas Julio Plaza e Nelson Leirner, escolhidas pela curadora Inês Raphaelian. Estão em exibição trabalhos marcantes da trajetória dos dois artistas, como uma nova montagem da instalação “As meninas ou os meninos”, criada por Plaza em 1977. De 30 de março até 27 de abril.

(8) “Rivane Neuenschwander: O Alienista” – Fortes D’Alóia & Gabriel

Quatro trabalhos inéditos compõem a nova exposição de Rivane Neuenschwander na galeria. “O Alienista”, obra que dá nome à mostra, é uma referência ao conto de Machado de Assis. Na peça, a artista cria vinte fantoches que funcionam como caricaturas para discutir a atual situação política do país. Já “Assombrados” é um desdobramento de trabalhos da artista realizados com crianças, que deram origem à premiada exposição “O nome do medo” (2017). De 1º de abril a 18 de maio.

(9) Carlos Garaicoa, Galeria Luisa Strina

O cubano Carlos Garaicoa discute a utopia do projeto arquitetônico e civilizatório do modernismo na América Latina em “Paisajes de trabajo”, sua individual na Galeria Luisa Strina. No espaço, o artista apresenta quatro instalações que se centram em torno de plantas de projetos de Oscar Niemeyer. Novas obras da série “Puzzle”, de 2018, completam a exposição. De 3 de abril a 25 de maio.

(10) “Tarsila popular”, Masp

No ano em que o Masp dedica sua programação ao trabalho de artistas mulheres, a instituição inaugura “Tarsila popular”, grande retrospectiva do trabalho de um dos maiores nomes do modernismo brasileiro. Realizada por Fernando Oliva, curador do museu, a mostra agrupa trabalhos raramente vistos pelo grande público, como “Abaporu”, da coleção do Malba (ARG) e “A cuca”, do Musée de Grenoble (FRA). De 5 de abril até 28 de julho.

Fonte: SP - Arte



NOTÍCIAS RELACIONADAS
19/11/2019
“Escapes”, Ricardo van Steen [Brasil]
19/11/2019
Cruz-Diez: a liberdade da cor [Brasil]
19/11/2019
Fantasma da ópera estreia em Lisboa [Portugal]
19/11/2019
O que vemos quando olhamos dança? Com Beth Bastos e núcleo pausa [Brasil]
19/11/2019
Emigrantes animam a economia do país no verão [Portugal]
19/11/2019
As 13 Bandeiras do Brasil e sua importância histórica e cultural para o povo brasileiro [Brasil]