home > notícias

MUNDO

17/04/2019

Dino D’Santiago foi o mais premiado na primeira edição dos prémios Play

O cantor Dino D'Santiago foi o mais premiado na primeira edição dos Play - Prémios da Música Portuguesa, ao vencer três das 12 categorias, incluindo Melhor Artista Solo e Melhor Álbum.

Dino D’Santiago subiu três vezes ao palco do Coliseu dos Recreios, em Lisboa, na noite de terça-feira, para receber os prémios de Melhor Artista Solo, Melhor Álbum (Mundo Nôbu) e Prémio da Crítica, este último atribuído por um painel de cerca de uma dezena de críticos de música portugueses.

A noite no Coliseu de Lisboa foi de celebração da música portuguesa, da que tem milhões de visualizações no YouTube à que foi criada quando muitos dos nomeados não eram ainda nascidos.

Numa cerimónia apresentada por Filomena Cautela e Inês Lopes Gonçalves, e transmitida em direto na RTP 1, os vencedores de cada categoria foram apresentados por duplas que incluíram cantores, como Sónia Tavares e Ana Bacalhau, atrizes, como Oceana Basílio e Isabel Valadeiro, escritores, como José Luís Peixoto, youtubers e até políticos, como a vereadora da Cultura da Câmara de Lisboa, Catarina Vaz Pinto, o ministro da Cultura de Cabo Verde, Abraão Vicente, e a ministra da Cultura portuguesa, Graça Fonseca, que entregou o Prémio Carreira.

Este prémio foi atribuído ao fadista Carlos do Carmo, reconhecendo, assim, a “carreira e nome cuja história é a história da música portuguesa dos últimos 50 anos”, afirmou Graça Fonseca.

No ano em que se despede dos palcos e comemora 80 anos de vida, Carlos do Carmo não pôde estar presente no palco do Coliseu porque, de acordo com um dos filhos do fadista, “levou à letra a expressão ‘break a leg’ [parte uma perna, em português, usada para desejar boa sorte a alguém]”.

Além do prémio, Carlos do Carmo foi homenageado no palco do Coliseu com a interpretação do tema “No Teu Poema”, de José Luís Tinoco e por si celebrizado, na voz do fadista Ricardo Ribeiro.

A cantora Blaya era a mais nomeada da noite, em três categorias, e acabou por não vencer nenhum prémio. Além disso, foi a única dos quatro nomeados para Melhor Canção que não pisou o palco para atuar, embora para quem seguiu a cerimónia na televisão tenha parecido que sim, já que a atuação tinha sido gravada anteriormente.

A cerimónia incluiu atuações dos outros nomeados para Melhor Canção, prémio atribuído pelo público, que além de Blaya foram Wet Bed Gang, Valas com Raquel Tavares e ProfJam.

O vencedor desta categoria foi “Estradas no Céu”, de Valas com Raquel Tavares.

Os discursos foram curtos e com agradecimentos para família, amigos, companheiros de estrada e de trabalho.

Conan Osíris, que venceu o Prémio Revelação, agradeceu ao público por o aceitarem e deixou um apelo: “Aceitem-se todos como me aceitaram a mim”.

Fonte: Observador

 



NOTÍCIAS RELACIONADAS
15/10/2019
Governo de SP inaugura MIS Experience com exposição sobre Da Vinci
15/10/2019
Mais de 400 iniciativas culturais na 4.ª edição do Festival 365 Algarve
15/10/2019
Exposição Pinacoteca - León Ferrari: Nós não sabíamos
15/10/2019
Ornatos Violeta com segunda data no Porto e concerto em Lisboa
15/10/2019
Publicações narram trajetórias ilustres na arquitetura brasileira
15/10/2019
Teatro do Bairro Alto reabre e aposta na inclusão e experimentalismo