home > notícias

MUNDO

02/05/2019

Torres Vedras lança Festival de Música Antiga para dinamizar concelho

O I Festival de Música Antiga de Torres Vedras vai realizar-se entre o próximo sábado e o dia 8 de junho, para dinamizar igrejas e espaços históricos do concelho, anunciou hoje a câmara municipal.

"OI Festival de Música Antiga de Torres Vedras aparece como resposta de revitalização e valorização de todo o património histórico existente nos vários locais do concelho, aliando a música da época à beleza da arquitetura e à acústica desses mesmos espaços", explica, no dossiê de imprensa, esta autarquia do distrito de Lisboa.

Em simultâneo, procura "divulgar um repertório bastante diverso, sacro e profano, dando a conhecer ao grande público compositores e obras da cultura europeia, desde a Idade Média até ao pré-classicismo".

Com direção artística de Daniel Oliveira, o festival começa no sábado, na Igreja de Santa Susana, do Maxial, com um concerto de alaúde e flauta barrocos, por Vinicius Perez e Alexandre Andrade, acompanhados pelo grupo de música antiga Camerata Galante.

O concerto tem como pano de fundo os 300 anos da passagem do músico e compositor italiano Domenico Scarlatti por Lisboa, onde deixou marcas da "italianização da vida musical portuguesa de setecentos".

Vão ser interpretadas obras de Scarlatti e Handel, escritas para flauta e alaúde barrocos, e de Luís Alvares Pinto.

O segundo concerto realiza-se a 11 de maio no salão nobre do Palácio de Runa e é dedicado às "Modinhas Luso-Brasileiras", um tipo de canção do século XVIII acompanhada por instrumento, misturando características populares e eruditas, para voz ou vozes solistas, cravo, pianoforte, viola (guitarra), guitarra portuguesa ou ainda um pequeno ensemble de câmara.

O grupo Cantos do Sabiá junta-se à soprano Margarida Simões, ao tenor Carlos Reis e a Vanessa Gonçalves, em guitarra.

O festival prossegue a 18 de maio, com um concerto sobre "A Sonata Barroca em Diálogo com Ária Sacra", pelo grupo Ars Eloquentia e pela soprano Susana Duarte, na Igreja de Nossa Senhora da Graça de Penafirme, na Póvoa de Penafirme.

Vão ser interpretadas obras de Bach escritas para voz e baixo contínuo, assim como a cantata sacra BWV 202, intitulada "Weichet nur, betrübte schatten" ("Apartai-vos, Tristes Sombras", em tradução livre).

A 25 de maio, alunos da Escola de Música Luís António Maldonado Rodrigues dão o terceiro concerto na Igreja Matriz do Turcifal, apresentando instrumentos a solo, coros e grupos de música de câmara, para levar o espetador a uma autêntica viagem pelo passado, em diálogo com a música contemporânea.

O festival encerra a 08 de junho, com o concerto "A sonata 'da Chiesa' [de igreja] barroca e clássica", na Igreja da Graça, em Torres Vedras.

Os violinistas Zófia Pajak e Marcos Lázaro, a violoncelista Vânia Moreira e Daniel Oliveira, em órgão e cravo, prometem fazer uma viagem pela música de câmara do barroco e do classicismo, privilegiando o género "Sonata da Chiesa" ou "Sonata de Igreja", género instrumental presente na liturgia.

Vão ser interpretadas sonatas dos mais emblemáticos compositores destes dois períodos, tais como Handel, Mozart, Albinoni e Domenico Zipoli.

Também a 8 de junho, realiza-se, na Igreja da Graça, um workshop de instrumentos antigos, uma oportunidade para o público contactar e conhecer instrumentos antigos da tradição europeia, tais como o cravo, a flauta barroca e o violino barroco.

Fonte: Notícias ao Minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
15/05/2019
Obra de Ricardo Araújo Pereira vence prémio de tradução em checo
15/05/2019
Ci.CLO Bienal Fotografia reúne exposições de 53 artistas no Porto
15/05/2019
Olimpíada Brasileira de Astronomia terá participação de 800 mil alunos
15/05/2019
Lisboa é a 6a cidade mais requisitada do Mundo para congressos internacionais
15/05/2019
Museus de todo o país têm programação especial a partir de hoje
15/05/2019
Exposição sobre o impacto do plástico nos oceanos para ver em Lisboa