home > notícias

MUNDO

07/05/2019

Xangai recebe I Mostra de Cinema em Língua Portuguesa

A primeira mostra de cinema em língua portuguesa arranca na quinta-feira, em Xangai, com a exibição de filmes de Portugal, Brasil e Cabo Verde para promover a cultura lusófona no maior centro financeiro da China.

 

Ociclo abre na quinta-feira à tarde com o filme "A Mãe é que Sabe", uma comédia do realizador português Nuno Rocha. Para o último dia está reservada uma sessão dupla, com o drama "Florbela", sobre a poetisa Florbela Espanca, e o documentário "O Paraíso São os Outros", de Miguel Gonçalves, com texto do escritor português Valter Hugo Mãe e que reúne depoimentos de falantes da língua portuguesa.

PUBLICIDADE

inRead invented by Teads

O programa inclui ainda "Cinema, Aspirinas e Urubus" e "Viajo Porque Preciso, Volto Porque te Amo", do Brasil, e "Os Dois Irmãos", de Cabo Verde. Todos os filmes serão falados em português, com legendas em inglês.

A mostra é o primeiro evento organizado pelo recém-criado Grupo Lusófono, formado pelos Consulados-Gerais do Brasil e de Portugal na cidade de Xangai, para promover a cultura dos países de língua portuguesa "nas suas mais variadas vertentes", disse o cônsul português, Israel Saraiva.

O ciclo, de entrada gratuita, vai decorrer na fundação Fosun, que foi estabelecida em 2012 como "braço humanitário" do grupo privado chinês.

Em Portugal, a Fosun detém já a seguradora Fidelidade e a Luz Saúde, a maior participação no banco Millennium BCP e cerca de 5% da REN (Redes Energéticas Nacionais).

Fonte: Notícias ao Minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
21/08/2019
Espetáculos, concertos e leituras de entrada livre no Teatro D. Maria II
21/08/2019
Évora reúne 20 músicos nacionais e estrangeiros em festival internacional
21/08/2019
'Bacurau' e 'Vida Invisível' disputam representar o Brasil no Oscar
20/08/2019
Curso gratuito de cinema arranca em outubro com António-Pedro Vasconcelos
20/08/2019
DGPC aprova projeto do Mercado Time Out Porto
20/08/2019
Número de brasileiros com estatuto de igualdade quase duplica por causa do ensino superior