home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

10/07/2019

Exportações aumentaram 8,7%, mas importações cresceram mais [Portugal]

Dados foram divulgados esta quarta-feira pelo INE.

As exportações aumentaram 8,7% em maio, mas as importações cresceram mais, cerca de 14,7%, de acordo com os dados divulgados, esta quarta-feira, pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

"Em maio de 2019, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de +8,7% e +14,7%, respetivamente, acelerando face ao mês anterior (+3,1% e +11,4% em abril de 2019, pela mesma ordem)", pode ler-se no relatório do INE.

A agência de estatísticas destaca o "aumento das exportações e importações de material de transporte (+21,9% e +27,4%, respetivamente) em resultado principalmente das transações de Outro material de transporte (maioritariamente aviões) e das importações de Combustíveis e lubrificantes (+43,2%)". 

O défice da balança comercial de bens atingiu 1.631 milhões de euros em maio de 2019, correspondente a um aumento de 480 milhões de euros face ao mês homólogo de 2018. Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, a balança comercial atingiu um saldo negativo de 1.197 milhões de euros, registando um aumento do défice de 206 milhões de euros em relação a maio de 2018.

No trimestre terminado em maio de 2019, as exportações e as importações de bens aumentaram, respetivamente, 5,6% e 12,3% face ao trimestre terminado em maio de 2018 (+4,5% e +11,2%, pela mesma ordem, no trimestre terminado em abril de 2019).

Fonte: Notícias ao Minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
06/07/2020
Câmara aprova concessão de crédito para pequenas empresas [Brasil]
06/07/2020
Portugueses terão o sexto maior pacote de subsídios europeus para sair da crise [Portugal]
06/07/2020
Produção brasileira de petróleo cresceu 7,8% em 2019 [Brasil]
06/07/2020
Covid-19. Marcelo destaca segurança e confiança da Madeira [Portugal]
06/07/2020
Ministério aprova financiamentos de US$ 790 mi para projetos no Brasil [Brasil]
06/07/2020
Balança de pagamentos da zona euro com saldo de 1,7% do PIB [Portugal]