home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

16/07/2019

Galp conclui compra da Tagusgás por 32 milhões de euros [Portugal]

Negócio anunciado em abril ficou agora concluído, reforçando a posição da Galp como maior distribuidora de gás natural no país

 

A Galp Gás Natural Distribuição anunciou esta segunda-feira a conclusão do negócio de compra da Tagusgás, empresa de distribuição de gás natural na região Centro do país, por um valor de 32 milhões de euros, segundo o comunicado divulgado através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

operação tinha sido anunciada em abril, mas ficou dependente da obtenção de autorizações regulatórias. Essas autorizações, que incluíram o Estado (enquanto concedente da concessão de distribuição regulada da Tagusgás), a Autoridade da Concorrência e a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, foram entretanto obtidas.

A Tagusgás já era participada pela Galp em 41%, mas com a compra dos 58% que estavam nas mãos da empresa Gásriba, a Galp passa a deter o controlo de 99% da Tagusgás.

Nesta transação a Galp Gás Natural Distribuição, que é detida pela Galp e pela japonesa Marubeni, foi assessorada juridicamente pela sociedade de advogados Sérvulo e teve como assessor financeiro o Millennium Investment Banking.

A Galp Gás Natural Distribuição é o maior distribuidor de gás em Portugal, detendo oito das 11 empresas reguladas de distribuição de gás no país e possuindo uma base regulada de ativos de mil milhões de euros.

A Tagusgás opera nos distritos de Santarém e Portalegre, contando com uma base regulada de ativos de 82 milhões de euros.

Fonte: Expresso



NOTÍCIAS RELACIONADAS
13/01/2020
Setores de TI e internet dominam ranking sobre mercado de trabalho [Brasil]
13/01/2020
Exportações aumentam 8,6% em Novembro [Portugal]
13/01/2020
Agronegócio brasileiro exportou US$ 96,8 bilhões em 2019 [Brasil]
13/01/2020
As datas para a entrega de IRS em 2020 [Portugal]
13/01/2020
Mercado financeiro reduz estimativa de inflação este ano para 3,58% [Brasil]
13/01/2020
Foi anunciado aumento de 900 milhões de euros para contratos com hospitais [Portugal]