home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

16/07/2019

Luís Miguel Ribeiro é o novo Presidente da Associação Empresarial de Portugal [Portugal]

Conselho Geral da AEP procedeu à recomposição do conselho de administração. Bernardino Meireles é o novo administrador e Veiga de Macedo sobe a vice-presidente

 

Dez dias depois da morte de Paulo Nunes de Almeida, o Conselho Geral (CG) da Associação Empresarial de Portugal (AEP) procedeu esta segunda-feira à recomposição do conselho de administração (CA), eleito em 2017. Luís Miguel Ribeiro, até aqui vice-presidente, ocupará a presidência da AEP até ao fim do mandato, em meados de 2020.

Para a vaga de vice-presidente segue o atual administrador Henrique Veiga de Macedo, um empresário ligado a empresas de cortiça e construção em Santa Maria da Feira e sobrinho do ministro com o mesmo nome de António Oliveira Salazar na década de 1950 e falecido em 2005.

Veiga de Macedo é sócio individual da AEP, tal como o novo presidente, Luís Miguel Ribeiro.

A recomposição leva à entrada para vogal do CA de Bernardino Meireles, administrador da histórica empresa de fogões fundada em 1931 e que pertence ao CG.

Segundo os estatutos da AEP, cabe ao conselho geral assegurar o preenchimento das vagas "que venham a ocorrer no decurso do mandato, por cooptação entre os sócios, sendo esta submetida a ratificaçäo na assembleia geral seguinte".

Outro ponto dos estatutos diz que cabe ao vice-presidente do CA substituir o presidente "nas suas faltas e impedimentos", tornando natural e óbvia a escolha de Luís Miguel Ribeiro. O empresário tornara-se o braço direito de Nunes de Almeida no anterior mandato, acumulando uma experiência de cinco anos no órgão máximo da associação.

DO TÂMEGA PARA A AEP

Licenciado em Gestão Financeira e Fiscal e mestre em Gestão e Negócios, Luís Miguel Ribeiro exercitou no associativismo de base regional, centrado em Amarante, a sua cidade de origem. Foi fundador e presidente da direção do Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa (CETS) e presidente da Associação Empresarial de Amarante (AEA). Atualmente, é vogal da CIP - Confederação Empresarial de Portugal.

Na frente profissional é diretor geral do Instituto Empresarial do Tâmega (IET) e coordenador de estudos e pareceres, depois de ter sido administrador de empresas, professor de economia e vice-presidente da direção da Escola Profissional António Lago Cerqueira, em Amarante.

Como administradores da AEP permanecem o executivo Angelino Ferreira, ex-gestor do FC Porto, e António José Ferraz (Grupo Lusoverniz) que ocupara no início do ano vaga deixada pela morte de Manuel Passos Rodrigo.

Fonte: Expresso



NOTÍCIAS RELACIONADAS
21/01/2020
Indústria de fundos no Brasil cresce em 2019 e atinge R$ 5 trilhões em patrimônio [Brasil]
20/01/2020
Bancos nacionais vão a Portugal buscar grandes fortunas e proteção do Brexit [Brasil]
20/01/2020
REN propõe novos investimentos de 645 milhões de euros na rede elétrica [Portugal]
20/01/2020
Com queda de juros, portabilidade de crédito imobiliário dispara 175% [Brasil]
20/01/2020
Transporte gratuito Combus vai abranger todo o munícipio de Oeiras [Portugal]
20/01/2020
Modernização do troço ferroviário entre Elvas e Caia em fase de conclusão [Portugal]