home > notícias

MUNDO

23/07/2019

Regina Pessoa ganhou Grande Prémio do festival brasileiro Anima Mundi

Depois de ter sido premiada em Annecy, França, a curta-metragem Tio Tomás — A Contabilidade dos Dias volta a ser distinguida no principal festival de animação brasileiro.

 

A curta-metragem Tio Tomás  A Contabilidade dos Dias, de Regina Pessoa, venceu o Grande Prémio do Festival Internacional de Animação do Brasil – Anima Mundi, foi anunciado esta segunda-feira.

Além do Grande Prémio, que consiste num troféu e numa quantia de 15 mil reais (cerca de 3.600 euros), o filme foi ainda distinguido com o prémio para o Melhor Design de Som, de acordo com informação disponível na página oficial do festival, na rede social Facebook.

O filme distinguido com o Grande Prémio deste festival que é um dos maiores da América Latina “poderá ser elegível a concorrer ao Óscar de Melhor Curta-Metragem de Animação no ano seguinte”, lê-se no site do Anima Mundi e na sua página no Facebook.

Tio Tomás  A Contabilidade dos Dias tinha já recebido, em Junho, o Prémio do Júri do Festival de Cinema de Animação de Annecy, em França, um dos mais importantes no seu género, onde foi também distinguido com o Prémio para Melhor Música Original, do compositor canadiano Normand Roger.

Tio Tomás presta tributo ao tio da realizadora, que desempenhou um papel fundamental no seu desenvolvimento enquanto cineasta. “Este filme pretende ser uma homenagem ao meu tio Tomás, um homem humilde e um pouco excêntrico que teve uma vida simples e anónima. Com este filme eu gostaria de testemunhar como não é preciso ser-se alguém para se ser excepcional na nossa vida”, escreve, a propósito da génese desta curta-metragem de 13 minutos que teve o apoio do Instituto do Cinema e do Audiovisual e é uma co-produção entre a portuguesa Ciclope Filmes, a Les Armateurs, Ivan Rouveure e o Office National du Film do Canada, que já a descreveu como “um poderoso grito de amor” a um “poeta do quotidiano”.

Regina Pessoa, que começou a trabalhar como animadora nos filmes do cineasta português Abi Feijó, pertence, desde o ano passado, à Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, por convite da organização. A cineasta portuguesa é ainda autora das curtas-metragens Ciclo Vicioso, de 1996, Estrelas de Natal, de 1998, A Noite, de 1999, e Odisseia nas Imagens, de 2001.

Nascida em Coimbra, conquistou também prémios em Espanha, Alemanha, Itália, República Checa, Coreia do Sul, Austrália, Brasil, Japão, China, Estónia, Canadá e Estados Unidos. A secção competitiva de curtas do festival Anima Mundi incluía um outro filme português: Não Alimentem estes Animais, de Guilherme Afonso e Miguel Madaíl de Freitas.

O 27.º Festival Internacional de Animação do Brasil – Anima Mundi decorreu entre quarta-feira e domingo, no Rio de Janeiro.

Fonte: Público



NOTÍCIAS RELACIONADAS
21/08/2019
Espetáculos, concertos e leituras de entrada livre no Teatro D. Maria II
21/08/2019
Évora reúne 20 músicos nacionais e estrangeiros em festival internacional
21/08/2019
'Bacurau' e 'Vida Invisível' disputam representar o Brasil no Oscar
20/08/2019
Curso gratuito de cinema arranca em outubro com António-Pedro Vasconcelos
20/08/2019
DGPC aprova projeto do Mercado Time Out Porto
20/08/2019
Número de brasileiros com estatuto de igualdade quase duplica por causa do ensino superior