home > notícias

ASSOCIADOS

13/08/2019

Aneel define redução da tarifa de energia da EDP no Espírito Santo [EDP - Energias do Brasil]

Novo cálculo será referente à energia consumida a partir do dia 07 de agosto. Para clientes residenciais a redução será de 6,57%

Vitória, 06 de agosto de 2019 –A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) homologou as novas tarifas de energia elétrica a serem aplicadas para as unidades consumidoras da área de concessão da EDP Espírito Santo, distribuidora que atende mais de 3,8 milhão de pessoas em 70 municípios do Estado.

O novo cálculo afetará as contas referentes à energia elétrica consumida a partir do dia 07 de agosto, que terão uma redução média de 4,84%. O efeito médio a ser percebido por todos os clientes atendidos em Baixa Tensão, como pequenos comércios e residências, será uma redução de 5,56 %, já a tarifa dos clientes residenciais terá uma redução de 6,57%.  Para os consumidores atendidos em Alta Tensão, como indústrias e grandes varejistas, a tarifa terá uma redução de 3,22%.

A cada três anos, conforme estabelece o Contrato de Concessão firmado com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), é realizado o processo de Revisão Tarifária da EDP Espírito Santo, oportunidade em que são avaliados os investimentos realizados pela distribuidora, a qualidade do serviço prestado, os níveis de perdas na rede, os custos com compra de energia e os encargos setoriais, dentre outros itens.

No dia 07 de maio de 2019, a ANEEL havia divulgado um índice preliminar calculando uma redução média de 6,66%, porém, como o ano tarifário compreende o período de agosto/18 até julho/19, ainda faltava incluir na composição da revisão as informações relativas aos meses de maio, junho e julho de 2019, bem como a análise das contribuições da sociedade no processo de audiência pública conduzido pela ANEEL.

O fornecimento de energia elétrica é essencial para as atividades do dia a dia, seja para a utilização nas residências ou nos diversos segmentos da economia, razão pela qual torna-se fundamental a revisão e aplicação das novas tarifas em intervalos regulares, de modo a garantir um serviço de qualidade e a expansão do sistema elétrico por meio de investimentos da EDP Espírito Santo, que trabalha incansavelmente na busca pelo aumento da eficiência.

 

Principal fator

A maior contribuição para a redução tarifária da EDP Espírito Santo veio dos encargos setoriais:

  • Redução de 6,37% na parcela de encargos setoriais da tarifa. Isso foi possível graças à quitação antecipada dos empréstimos realizados pelas empresas de distribuição de todo o País em 2013 e 2014, para pagamento das Usinas Termoelétricas que tiveram de ser acionadas naquele período de seca severa, a custos mais elevados.

 

Efeito percebido pelo consumidor

O efeito médio a ser percebido nas unidades consumidoras atendidas em baixa tensão, como pequenos comércios e residências, será uma redução de 5,56%. Nas unidades atendidas em alta tensão, como indústria e grandes varejistas, haverá uma redução de 3,22%.

Um exemplo é que para um residência atendida pela EDP que até agora pagava R$ 100 na conta de energia, com a revisão homologada, passará a pagar em torno de R$ 94.

 

Você conhece a composição da tarifa de energia?

Com a Revisão Tarifária, a cada R$ 100,00 que forem pagos pelo cliente, R$ 20,57 serão destinados à EDP para a cobertura dos custos de operação, manutenção e investimentos. Outros R$ 33,10 serão dedicados às despesas com geração de energia e R$ 7,66 para as despesas de transmissão da energia. Os encargos setoriais responderão por R$ 10,96, enquanto os impostos e tributos ficarão com R$ 27,71 do total faturado.

 

Investimentos

Nos últimos três anos, a EDP Espírito Santo investiu mais de R$ 1 bilhão na expansão e modernização do seu sistema elétrico, no combate às perdas, em infraestrutura e melhorias no atendimento ao cliente.

Com o montante investido foram realizadas obras de expansão e melhoria do sistema elétrico em todo o Estado, construção e ampliação de subestações e a recapacitação de linhas de distribuição de alta tensão. Entre os empreendimentos construídos estão as Subestações de Barra do Jucu (Vila Velha), Guriri (São Mateus) e Atílio Vivácqua, além da ampliação de outras 17 subestações, entre elas Lameirão (Guarapari), Rio Quartel (em Linhares), Santa Maria (Santa Maria de Jetibá) e Castelo.

Os recursos foram destinados também à construção e recapacitação de quilômetros de linhas de distribuição de alta, média e baixa tensão que possibilitam o fornecimento de energia elétrica aos diversos municípios capixabas. É o caso das linhas Viana-Alto Lage e Itarana-Santa Maria de Jetibá, que elevam a confiabilidade do sistema e reduzem o risco de eventuais interrupções no fornecimento de energia.

Além disso, foram realizados investimentos para o desenvolvimento de projetos que se tornaram referência nacional no combate às fraudes e irregularidades, em melhorias operacionais, tecnologia da informação, infraestrutura e atendimento ao cliente.

Fonte: Assessoria



NOTÍCIAS RELACIONADAS
21/08/2019
Mudança é bom. Mas como lidar com as emoções que ela provoca? [Gi Group Brasil]
20/08/2019
Apresentação de Registro Criminal por Cidadãos Estrangeiros [Asa Lawyers]
20/08/2019
Como garantir a segurança dos alimentos, da cadeia de produção do campo para o consumo [Apcer Brasil]
20/08/2019
Startups e pequenos empresários – primeiros passos [Franco Advogados]
20/08/2019
Hospital BP é reconhecido pela qualidade dos dados sobre câncer compartilhados pela instituição [BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo]
20/08/2019
Receita Federal entende que alienação de quotas de FII deve ser tributada à 20% [FCB - Sociedade de Advogados]